Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Patrimônio histórico

Rosto da Cidade recupera o azul da Igreja do Rosário, no Centro Histórico

Obras de restauro da fachada da Igreja do Rosário, no Centro Histórico, parte do programa Rosto da Cidade. Curitiba, 06/08/2019. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Terminam nos próximos dias os trabalhos de recuperação da fachada da Igreja do Rosário, na Praça Garibaldi, no Centro Histórico de Curitiba. Nesta terça-feira (6/8), o prefeito Rafael Greca vistoriou os serviços que fazem parte do programa Rosto da Cidade.

 “A antiga igreja do povo negro de Curitiba não merece outra coisa se não o azul do céu, dos olhos da Helena Kolody e do manto sagrado de Nossa Senhora”, disse Greca.

A Igreja Nossa Senhora do Rosário foi construída em 1846 no local onde ficava a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito.

O prefeito acompanhou o trabalho de pintura, feito com o auxílio de um equipamento de rapel, ao lado da presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, do diretor de Patrimônio Cultural da Fundação, Marcelo Sutil, e do diretor de Parques e Praças da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Jean Brasil.

A igreja será o 13º imóvel privado finalizado pelo projeto da Prefeitura de Curitiba, que envolve melhorias de prédios de interesse histórico e melhorias na acessibilidade, paisagismo e iluminação pública.

A atuação em imóveis particulares foi permitida após aprovação de um projeto do Executivo na Câmara Municipal de Curitiba. Também fazem parte das ações da Prefeitura a melhoria da iluminação pública e da acessibilidade.

Além de 20 imóveis públicos já concluídos pelo Rosto da Cidade, há outros 22 particulares – 12 concluídos e outros 10 em execução.

Com seis etapas, o Rosto da Cidade é uma ação conjunta desenvolvida por Ippuc, Fundação Cultural de Curitiba e as secretarias municipais do Meio Ambiente e de Obras Públicas.

Charme barroco

A Igreja Nossa Senhora do Rosário foi construída em 1946 no local onde ficava a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito, edificação de 1737. No estilo barroco, possui em sua fachada os azulejos originais e abriga o túmulo de Monsenhor Celso.

Depois da abolição da escravatura, o santuário passou a ser conhecido como "Igreja dos Mortos", por estar instalado no trajeto para o Cemitério Municipal e ser o local escolhido frequentemente pela comunidade para a realização das missas de corpo presente.