Prefeitura Municipal de Curitiba 156 Acesso à informação
Encontro internacional

Temas discutidos em Curitiba serão levados para cúpula do BRICS em Brasília

Primeira Reunião de Sherpas do BRICS, no Salão de Atos do Parque Barigui. Curitiba, 14/03/2019. Foto: Cesar Brustolin/SMCS

A primeira reunião de trabalho do BRICS, grupo que reúne representantes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, teve início às 9h desta quinta-feira (14/3), no Salão de Atos do Parque Barigui. Esta é a primeira vez que Curitiba é sede de um encontro do BRICS. A reunião é preparatória para a XI Cúpula de presidentes, que será feita em Brasília, em novembro deste ano. Os temas discutidos em Curitiba serão levados para a capital federal.

Pela manhã, os embaixadores, líderes e diplomatas trataram de temas econômico-comerciais, financeiros, científico-tecnológicos, culturais, de saúde, de segurança, sociais e de gestão.

A reunião em Curitiba é feita na instância de sherpas, os encarregados de alto nível do BRICS nas respectivas chancelarias. Eles coordenam o trabalho e estabelecem as prioridades do que será abordado na cúpula de novembro.

Agora pela tarde a reunião foi retomada e segue até as 18h30. As discussões são fechadas ao público e à imprensa. O Brasil exerce a presidência de turno do BRICS neste ano e Curitiba foi a cidade escolhida para a primeira reunião de trabalho do grupo. O encontro diplomático terá sequência nesta sexta-feira (15/3), das 9h às 18h30, no Salão de Atos do Barigui.

Este é o maior evento diplomático feito em Curitiba em 13 anos, desde o encontro mundial de meio ambiente promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU), o COP-8/MOP-3 em 2006. O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, explicou que esta primeira reunião de trabalho do BRICS é um momento muito importante para o país.

“É o início da presidência brasileira no BRICS. Nós queremos trabalhar fundamentalmente com a agenda de inovação e economia digital”, disse Araújo, antes do início das reuniões técnicas no Salão de Atos do Barigui.

O ministro também elogiou a escolha da capital paranaense para sediar o encontro internacional. “Consideramos que é excelente fazer isso em Curitiba, a cidade mais inovadora do Brasil, como todos reconhecem. Estamos muito animados para essa presidência do BRICS”, definiu Araújo.

LEIA MAIS:

O assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, Rodolpho Zannin Feijó, acompanha os temas que estão sendo discutidos no encontro. "O grupo BRICS está se sentindo em casa. Eles se identificaram muito com Curitiba", afirmou Feijó.

A abertura oficial do encontro foi feita na noite de quarta-feira (13/3), no Memorial de Curitiba, com a presença do prefeito Rafael Greca e da primeira-dama Margarita Sansone.

Relações comerciais

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, somados, os quatro outros integrantes do BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul) foram destino, em 2018, de 30,7% das exportações brasileiras. O valor dos bens comprados por esses quatro membros do grupo atingiu US$ 73,8 bilhões (contra US$ 56,4 bi em 2017).

Vieram desses países 23,8% das importações nacionais, correspondentes a US$ 43,1 bilhões. O saldo comercial do Brasil com o BRICS foi, no ano passado, positivo em US$ 30,7 bilhões (era de US$ 23 bilhões em 2017), equivalente a 52% do superávit comercial brasileiro no ano.

Segurança

Por conta da reunião internacional, o estacionamento em frente ao Salão de Atos do Parque Barigui está bloqueado. A interdição segue até as 18h30 de sexta-feira (15/3).

O trânsito na Alameda Ecológica Burle Marx está liberado, mas há restrições de circulação de pessoas perto do Salão de Atos. A segurança é feita por agentes da Guarda Municipal e policiais militares.