Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Carnaval 2020

História do samba e do Carnaval agitam o Pinheirinho

Aula de Iniciação ao Samba na Rua da Cidadania do Pinheirinho para 350 crianças dos CEIs Professora Nair de Macedo, Francisco Frischmann, Jornalista Cláudio Abramo, da Escola Municipal do Expedicionário e da Escola Especial Thomás Edison. - Curitiba, 21/02/2020 - Foto: Daniel Castellano / SMCS

 

Na manhã desta sexta-feira (21/2), a alegria contagiante do Carnaval tomou conta da Rua da Cidadania do Pinheirinho, palco da penúltima Aula de Iniciação ao Samba promovida pela Prefeitura. 

Cerca de 350 curitibinhas dos CEIs Professora Nair de Macedo, Francisco Frischmann, Jornalista Cláudio Abramo, da Escola Municipal do Expedicionário e da Escola Municipal de Educação Especial Tomaz Edison foram aprender como surgiu o samba e o caminho que transformou o ritmo na maior expressão nacional.

O prefeito Rafael Greca fez uma saudação especial aos pequenos: “Que bom vocês vieram. Sejam bem-vindos à maior festa do Brasil, o Carnaval dos curitibinhas”, disse.

O prefeito cantou a dançou sucessos famosos do Carnaval com as crianças. Não faltaram confete e serpentina, bonecos gigantes, o personagem Pikachu e o cortejo real do Carnaval de Curitiba: o rei momo Felipe Júnior Oliveira de Souza Frausino, a rainha Jéssica de Almeida Barbosa e as princesas Joyce Kelly Alves Ramiro dos Santos e Edna dos Santos Souza.

Os meninos João Vitor e Cristhopher Henrique Almeida, alunos do CEI Expedicionário, foram caracterizados de cangaceiros. “O nosso tema foi Carnaval no Nordeste”, explicou a professora Rejane, responsável pela produção das crianças.

Quem também caprichou na caracterização foi o garoto João Paulo, da escola Francisco Frischmann. “Não é o Coringa do Batman”, explicou. “Eu fiz uma divisão no meu rosto em verde e preto e ficou assim”, disse modesto. João Paulo assistiu pela primeira vez à Aula da Iniciação ao Samba e gostou do que viu.

Samba na história

A apresentação feita pelos atores Douglas Perez (Curitibinha), Léo Campos e Taciani Vieira (respectivamente, o Senhor e a Senhora Samba) mostrou o ritmo desde os primórdios, como o samba de roda que nasceu na Bahia, e os mais variados estilos que surgiram até os dias de hoje.

Eles foram acompanhados por um grupo de músicos do Conservatório de MPB, composto por voz, violão, cavaquinho, caixa, surdo e trompete, e pela Banda Lyra Curitibana.

“Eu acho que agora é a consolidação. A ideia é perfeita e funciona. Este ano nós colocamos os músicos do Conservatório e o evento ficou maior. Ano que vem teremos que pensar outras coisas para ficar melhor ainda”, disse o diretor artístico da Fundação Cultural, Édson Bueno.

Para o ator Léo Campos, que pelo segundo ano consecutivo está vivendo o Senhor Samba, Curitiba tem crescido muito com blocos de Carnaval. "O que nós estamos fazendo é trabalhar isso desde cedo, porque estas crianças que estão aqui são os  foliões de amanhã”, avaliou.

Participaram também a administradora regional do Cajuru, Adriane Santos, a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, a assessora do gabinete do prefeito, Cinthia Maia, o administrador regional do Pinheirinho, Reinaldo Boaron.