Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Aula de campo

Roteiro da erva-mate é uma lição de história para estudantes

Estudantes do 5º ano da Escola Municipal Santa Ana Mestra, no Tatuquara, participam da aula de campo sobre o roteiro da erva-mate. Curitiba, 26/10/2018. Foto: Levy Ferreira/SMCS

Estudantes do 5º ano da Escola Municipal Santa Ana Mestra, no Tatuquara, participaram na tarde desta sexta-feira (26/10) da aula de campo sobre o roteiro da erva-mate. Promovidas pelo programa Linhas do Conhecimento, as aulas de campo abrem novas oportunidades de aprendizado, fora da sala de aula, a estudantes da rede.

A aula sobre a erva-mate revela dados da economia e do desenvolvimento do Paraná ervateiro, passando pela história das famílias e das construções antigas, como a Capela da Glória e o palacete da família Leão, no Alto da Glória.

“É um recurso fundamental para os estudantes compreenderem como a produção da erva-mate chegou a representar 85% da economia paranaense”, explicou a professora Josilene Mirian Nadalin.

Na sala de aula, meninos e meninas iniciaram os estudos pelo século 18, quando a erva-mate passou a ser beneficiada no Estado, nos chamados engenhos, e em Curitiba.

“Aprendemos que os barões do mate construíram ricos casarões em Curitiba, que até hoje enfeitam os bairros Batel e Alto da Glória, e que a expansão das artes também foi motivada por muitas dessas pessoas”, contou Milena de Almeida, de 10 anos.

A expedição da turma nesta sexta-feira teve início no Alto da Glória, onde os estudantes conheceram a Capela da Glória, o Palacete dos Leões e o Passeio Público. Depois seguiram rumo à Universidade Federal do Paraná, pois o cultivo da planta favoreceu a fundação da instituição de ensino.

Também foi parte do roteiro o Solar do Barão, Sobrado Manoel Miró, Palacete Ascânio Miró, Portal da Fábrica Santa Graça, Engenho Santa Graça, a Estação Ferroviária e o Palácio São Francisco – hoje Museu Paranaense, onde os estudantes conhecem a exposição que descreve o cenário da cidade no período ervateiro.

A estudante Milena traduziu o roteiro da aula de campo como uma “forma de aprender além do que vejo na escola.” Seu colega Cauã Quevedo da Silva, de 10 anos, acrescenta que adora aulas de campo e sempre participa com perguntas. “Gosto muito, aprendo bastante.”

O Linhas do Conhecimento já beneficiou 38 mil estudantes desde o início de 2017, quando foi implantado pelo prefeito Rafael Greca. Atualmente, abrange 100% das 185 escolas municipais e 91% dos 219 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs).