Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Parceria

Projetos do Inter 2 e Linha Verde terão tecnologia BIM

O prefeito Rafael Greca com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, na assinatura do acordo de cooperação entre a Prefeitura e o Governo para o uso da tecnologia BIM em projetos conjuntos do município e Estado. Curitiba, 05/11/2019. Foto: Pedro Ribas/SMCS

 

O novo Inter 2 e as transposições da Linha Verde na altura da Marechal Floriano e na região do Xaxim serão os primeiros projetos da cidade a serem construídos com base na tecnologia BIM (Building Information Modelling). Isso será possível a partir da cooperação técnica da Prefeitura de Curitiba com o Governo do Paraná firmada pelo prefeito Rafael Greca e o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, nesta terça-feira (5/11).

O convênio também levou a assinatura do vice-prefeito, Eduardo Pimentel, e do presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur.

A tecnologia BIM permite a construção de modelos virtuais da obra, possibilitando o acompanhamento detalhado de empreendimentos viários e edificações, desde o estudo de viabilidade até a execução e fiscalização dos canteiros de obras. Ela garante mais qualidade aos projetos e confiabilidade com relação aos prazos e orçamentos.

“É uma grande inovação que será aplicada aos projetos que estão sendo negociados para a Linha Verde e para evolução do transporte”, disse Greca.

A estruturação dos projetos do setor público tendo por base o BIM está prevista no decreto federal 9.377/2018 que instituiu a Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling. As metas da parceria entre o município e o Estado serão apresentadas em painel do I Seminário Infraestrutura Paraná, nesta quinta-feira (7/11), às 15h50, no auditório da Celepar, na Rua Mateus Leme, 1.561.

Na opinião do secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, a tecnologia BIM permite a eficiência no projeto e representa o bom uso do dinheiro público. Segundo o secretário, a cooperação com Curitiba tem início com obras importantes para a mobilidade não apenas dos curitibanos mas de todos os paranaenses.

Linha Verde

A Prefeitura já licitou os projetos executivos das transposições da Linha Verde, formadas pelos novos viadutos das ruas Anne Frank e Tenente Francisco Ferreira de Souza, a implantação de uma estação de transporte no viaduto da Marechal Floriano e das trincheiras entre as estações São Pedro e Santa Bernadethe, na região do Xaxim. O consórcio Engemin Tramo foi o vencedor da concorrência.

O trinário de viadutos por sobre a Linha Verde e as duas trincheiras fazem parte dos investimentos da Prefeitura, em conjunto com Governo do Estado, em novas transposições do eixo da antiga rodovia para melhoraria do trânsito e do transporte.

Inter 2

Os investimentos previstos para o Projeto do Inter 2 somam R$ 534 milhões, dos quais R$ 427,2 milhões com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e contrapartida da Prefeitura de R$ 106,8 milhões. 

Com o projeto haverá a melhoria da infraestrutura viária e de equipamentos para o aumento da velocidade operacional e a ampliação da capacidade de carregamento do Ligeirinho Inter 2 e Interbairros II, dos atuais 155 mil transportados diariamente pelas duas linhas para 181 mil passageiros/dia.

Cooperação

Os trabalhos de cooperação em BIM serão coordenados em conjunto pelo Departamento de Gestão de Projetos e Obras (DGPO) da Secretaria de Estado Infraestrutura e Logística do Paraná (Seil), sob a direção da arquiteta Lorreine Vaccari, e a diretoria de Implantação do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), pelo arquiteto Sérgio Matheus Rizzardo.

A Prefeitura já investiu R$ 511 mil em tecnologia BIM dentro do Programa BID Pró-Cidades, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) com contrapartida do município. Os recursos foram aplicados em equipamentos, softwares e no treinamento do corpo técnico de engenheiros e arquitetos da municipalidade para utilizar a plataforma.

Na administração estadual, o Building Information Modelling já é amplamente utilizada, em especial na área de edificações.