Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Smart City

Programa Cidades Inteligentes fortalece a inovação em Curitiba

Curitiba passou a fazer parte, nesta terça-feira (23/4), do Programa de Cooperação Cidades Inteligentes, com financiamento a fundo perdido da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). - Na imagem, vice-prefeito e prefeito em exercício, Eduardo Pimentel; o presidente do Ippuc e secretário de Governo, Luiz Fernando Jamur; Lamine Sow, Fabien Gicguelay e Rogério de Paula Barbosa (AFD); Alexis Beranger, da empresa Egis parceira da AFD na coordenação do trabalho e Joel Gombin (Datactivist). Curitiba, 23/04/2019. Foto:Cesar Brustolin/SMCS

Curitiba passou a fazer parte, nesta terça-feira (23/4), do Programa de Cooperação Cidades Inteligentes, com financiamento a fundo perdido da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). No lançamento do programa, no auditório do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), o prefeito em exercício, Eduardo Pimentel, destacou o esforço da gestão do prefeito Rafael Greca em avançar no planejamento com inovação.

“A inovação em Curitiba não é futuro, já é o presente. É motivo de orgulho Curitiba ser uma das cidades escolhidas para esta parceria com a Agência Francesa”, disse Eduardo Pimentel. O prefeito Rafael Greca gravou um vídeo de boas-vindas aos participantes justificando a ausência no evento.

Para o presidente do Ippuc e secretário de Governo, Luiz Fernando Jamur, ao escolher Curitiba entre os municípios contemplados nesta cooperação técnica, a Agência Francesa renova a confiança na cidade. “O prefeito Rafael Greca tem dito sempre que a inovação só faz sentido quando melhora a vida das pessoas. Fazer parte do rol de Cidades Inteligentes fortalece as ações de Curitiba pela inovação e os compromissos da nossa cidade com a agenda global em prol do desenvolvimento sustentável”, destacou.

A abertura do evento foi coordenada pela assessora na Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento, Ana Cristina Wollmann Zornig Jayme. Para ela, a cooperação simboliza o ponto alto de um processo iniciado em 2017. “Solicitamos cooperação técnica para aperfeiçoar ainda mais nossos projetos em Curitiba e a AFD nos deu esta resposta”, frisou. Como parte do programa, até esta quarta-feira (24/4) serão feitas reuniões técnicas no Ippuc.

A cooperação técnica conta com financiamento de € 700 mil do Fundo de Expertise e Intercâmbio de Experiências (FEXTE). Por um período de três anos, a AFD apoiará uma série de missões de expertise técnica, visitas de projeto e troca de boas práticas, e estudos de pré-viabilidade para promover a integração da "Cidade Inteligente" no planejamento estratégico das cidades. Além de Curitiba, Recife e São Paulo também integram o programa.

Plano de trabalho

O plano de trabalho definido para Curitiba envolve as áreas de Mobilidade Elétrica e Conectada, Plataforma de Gestão Urbana Centralizada e Big Data. A estimativa de investimentos nesses componentes do programa é de € 305 mil (cerca de R$ 1,34 milhão), sendo € 135 mil (cerca de R$ 592 mil) para a mobilidade inteligente e conectada; em torno de € 100 mil (cerca de R$ 439 mil) para a plataforma de gestão urbana e outros de € 70 mil (cerca de R$ 307 mil) no aprimoramento dos serviços públicos com a utilização do Big Data.

Os compromissos da AFD à inovação urbana têm relação direta com o fomento às cidades sustentáveis e o apoio à transição digital. A agência desenvolveu um guia específico para auxiliar autoridades locais e equipes técnicas dos municípios nas tomadas de decisão nesse sentido.

Segundo o gerente de projetos da Agência Francesa de Desenvolvimento, Fabien Gicguelay, as experiências da AFD com Curitiba auxiliaram no desenvolvimento do guia. “A cidade de Curitiba é o primeiro lugar em que temos uma ação tão estruturada. Já elaboramos um guia em português. As contribuições nas discussões que tivemos com Curitiba nos ajudaram muito a compor o conteúdo”, observou.

Caximba

O diretor adjunto da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para o Brasil, Lamine Sow, reforçou que Curitiba é referência para a AFD em planejamento voltado à sustentabilidade apontando, inclusive, para novas parcerias.  “Nossa parceria com Curitiba começou quase no início da presença da AFD no Brasil. É uma cidade que sempre valorizou o planejamento, a partir de uma visão inovadora. Um exemplo para o Brasil e à AFD do que se pode fazer e na inovação para uma cidade sustentável”.

De acordo com Sow, a abordagem em torno das Smart Cities permite englobar muitos temas do desenvolvimento sustentável, desde o clima à inclusão social. “Com este programa consolidamos este processo em Curitiba. Estamos trabalhando também com vistas ao projeto do Bairro Novo da Caximba”, observou.

A Prefeitura de Curitiba já cadastrou carta consulta junto ao governo federal como parte do processo de viabilização de financiamento externo para projeto da Caximba. A intervenção no extremo sul de Curitiba, segundo o vice-prefeito, Eduardo Pimentel, será mais um marco no planejamento de Curitiba. “O projeto Bairro Novo da Caximba, quando viabilizado, será referência mundial”.  Os investimentos previstos para a recuperação ambiental e urbana da Vila 29 de Outubro e entorno giram em torno de R$ 200 milhões.

Também participaram do lançamento do Programa de Cooperação Cidades Inteligentes o gerente de projetos da AFD no Brasil, Rogério de Paula Barbosa; Alexis Beranger, da empresa Egis parceira da AFD na coordenação do trabalho e Joel Gombin, especialista em base de dados da empresa francesa Datactivist.

Por parte da equipe da Prefeitura estiveram presentes o presidente da Urbs, Ogeny Maia, a presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi; o assessor de Relações Internacionais, Rodolpho Zannin Feijó, e o superintendente de Informação e Tecnologia, Leandro Vergara Raimundi.