Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Setembro Amarelo

Prefeitura instrui servidores para que observem sinais de depressão em colegas

Setembro Amarelo

 

Neste mês de setembro, a Secretaria de Administração e de Gestão de Pessoal (SMAP) alerta os servidores para o cuidado com a saúde mental. De acordo com a equipe do Departamento de Saúde Ocupacional, a pandemia potencializou os casos de depressão e ansiedade, e diagnosticá-los é o primeiro passo para evitar situações como o suicídio, tema da campanha Setembro Amarelo.

“É preciso estar atento aos sinais, procurar ajuda sempre que estiver em sofrimento, e também acolher, oferecer ajuda em momentos de fragilidade dos colegas de trabalho”, afirma o diretor do Departamento de Saúde Ocupacional, Guilherme Graziani.

 

A psicóloga da Saúde Ocupacional, Erliete Alves Bernardi Melinski, e coordenadora do TelePaz, serviço telefônico de acolhimento emocional gratuito, criado devido à pandemia pelo coronavírus, aponta que escutar, oferecer um ombro amigo, sem julgar ou rebaixar o sofrimento vivido pelo outro, e recomendar apoio psicológico é dever de todos. “Mesmo que seja um colega com quem você não tem intimidade, pergunte e escute”, enfatiza.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio está entre as 20 principais causas de morte no mundo, e 90% destes casos podem ser evitados se diagnosticados previamente. A organização alerta que a pandemia se tornou um fator de risco para a depressão, e que neste momento, mais do que nunca, as pessoas precisam se atentar aos sinais do próprio corpo e buscar maior qualidade de vida.

Na avaliação da médica da família Caline Pockrandt, do plano de saúde dos servidores, o ICS (Instituto Curitiba de Saúde), em tempos de pandemia, se faz ainda mais necessária a busca pelo equilíbrio psicológico.

“Com toda a mudança de rotina, houve consequentemente uma mudança de hábitos de vida – na alimentação, no padrão de sono, na rotina com a família, no lazer – e muitas pessoas adoeceram com depressão e ansiedade”, alerta. Ela recomenda que as pessoas se aproximem de quem amam, procurem novos passatempos, e dediquem tempo a um entretenimento leve e que traga bem-estar. Ela destaca ainda que saúde mental não se limita a exercícios físicos e uma alimentação nutritiva, e que sintomas psicológicos não devem ser ignorados.

No Brasil, as taxas de suicídio aumentaram em 16% nos últimos quatro anos, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, e mesmo sendo um dado alarmante, o tabu ao redor de distúrbios mentais persiste. “As pessoas demoram para procurar tratamento, acham que não precisam buscar ajuda, que vai passar, ou sofrem com o medo do julgamento dos colegas”, alerta Erliete.

Como ajudar

A Prefeitura instrui as chefias imediatas que identificarem um funcionário em momentos de dificuldade a produzirem um relatório circunstanciado, documento no qual informam os sintomas observados. Os detalhes para a elaboração estão disponíveis no Portal do Servidor. Depois de informar CPF e senha, basta o gestor colocar na busca “Relatório circunstanciado”. A equipe da Saúde Ocupacional entrará em contato o quanto antes.

Quando necessário, a Saúde Ocupacional orientará sobre os encaminhamentos que devem ser feitos. O servidor que identificar os sintomas em um colega pode avisar a chefia. Erliete explica que os servidores podem procurar o serviço de acolhimento emocional gratuito ofertado pela Prefeitura, o TelePaz, que funciona em todos os dias da semana, inclusive em feriados, das 8h às 18h. O atendimento é feito por psicólogos, e o número de contato é o 3350-8200.

“Destacamos sempre que o TelePaz não substitui uma terapia. Ele serve como um exercício de escuta, para aliviar sintomas de ansiedade e depressão, mas nós sempre recomendamos que os pacientes procurem um profissional especializado”, explica a coordenadora do TelePaz.

ICS, SUS e CVV

Os beneficiários do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), o plano de saúde dos servidores, podem solicitar encaminhamento médico para atendimento psicológico na rede credenciada da operadora, e agendar uma consulta com uma das mais de 25 clínicas, policlínicas e centros médicos que oferecem consultas de psicologia.

Os servidores que não são beneficiários do ICS devem procurar atendimento pelo SUS, preferencialmente nas unidades de saúde. Em caso de necessidade, a unidade de saúde faz o encaminhamento para ambulatórios de especialidade ou para os Centros de Atenção Psicossociais (CAPS). Em casos de emergência, o paciente deve procurar a Unidade de Pronto Atendimento mais próxima ou contatar o SAMU, pelo fone 192.

As pessoas que precisam de apoio também podem ligar para o Centro de Valorização da Vida (CVV), organização não governamental, discando 188, em qualquer horário do dia, e serão atendidas por voluntários treinados que oferecem apoio emocional. Também é possível conversar com os voluntários por e-mail ou pelo chat disponibilizados no site do CVV.