Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Transportes

Prefeitura inaugura centro que permite monitoramento da frota de táxis em tempo real

O Centro de Controle Operacional (CCO) da Urbs, que já reúne o monitoramento do trânsito e do transporte coletivo, agora passa a acompanhar o serviço de táxi. Foto: Maurilio Cheli/SMCS

Ouça

0

1/3

O Centro de Controle Operacional (CCO) da Urbs, que já reúne o monitoramento do trânsito e do transporte coletivo, agora passa a acompanhar o serviço de táxi. Inaugurado pelo prefeito Gustavo Fruet nesta sexta-feira (06), o CCO do Táxi vai permitir o monitoramento da frota do serviço em tempo real, o que representa mais segurança para taxistas e passageiros e maior eficiência no sistema. O lançamento faz parte da programação de aniversário de Curitiba, que completa 322 anos no dia 29 de março.

Operadores e fiscais do táxi poderão conferir em tempo real se as determinações do regulamento implantado em 2013 estão sendo cumpridas. Entre elas, a obrigatoriedade do veículo estar em operação no mínimo 12 horas por dia e de que 100% da frota esteja em circulação nos horários de pico.

O monitoramento será feito por operadores e fiscais no mesmo espaço do CCO da Urbs. Como acontece no transporte coletivo, também no CCO do Táxi serão gerados relatórios contínuos das atividades registradas, o que é uma importante ferramenta de gestão. Nesta sexta-feira começarão a ser monitorados 400 táxis, número que, até o fim da próxima semana, chegará a 1.920. A intenção é chegar aos 3 mil táxis até o fim deste mês.

De acordo com o prefeito Gustavo Fruet, por ser um tradicional serviço dos centros urbanos, há uma expectativa muito grande da população com a qualidade do sistema de táxi. “Agora, com a nova tecnologia, o usuário que chamar o táxi pode ter a segurança de que o veículo está sendo monitorado. Por outro lado, a Prefeitura poderá verificar se a lei aprovada pela Câmara Municipal está sendo cumprida”, disse.

Sistema

Os carros serão monitorados por GPS, e o CCO unifica os sistemas já utilizados pelas sete centrais de táxi de Curitiba, que reúnem quase 65% dos taxistas da cidade. Para a próxima etapa, os demais motoristas serão convidados a instalar o equipamento em seus carros, sem necessidade de se associar a centrais.

“Para as centrais, esse sistema é interessante porque a Urbs poderá dimensionar os pontos de táxi de acordo com a demanda e avaliar locais estratégicos que hoje não são atendidos”, afirmou o presidente da Associação das Centrais de Táxi de Curitiba e Região Metropolitana, Julcimar Zambon.

Com a utilização de bancos de dados já existentes e software desenvolvido pela própria Urbs, o CCO do Táxi está sendo implantado sem custos para o Município ou para os taxistas. “O monitoramento pelo CCO é resultado de uma parceria entre as centrais e a Urbs que nos dá condições de melhorar a qualidade do serviço”, disse o presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva.

O evento de inauguração teve a presença do presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires, do vereador Felipe Braga Côrtes, e de representantes de centrais de rádio táxi.

Evolução

A inclusão do táxi no controle operacional feito eletronicamente é mais uma novidade viabilizada pela decisão do prefeito Gustavo Fruet de implantar uma nova política de serviço de táxi em Curitiba. A mudança começou ainda em 2013, com a realização, em junho, de uma audiência pública que contou com mais de 2,5 mil participantes para definição das diretrizes dessa nova política. Em agosto, o prefeito assinou decreto que modernizou a atividade, a começar pela criação de um regime único para novos e antigos taxistas.

O decreto trouxe um aumento de 30% na oferta do serviço (o equivalente a 630 veículos a mais) ao determinar que os táxis têm de operar 12 horas por dia e que em pelo menos 30% desse tempo ele seja dirigido pelo titular da autorização. O decreto também acabou com o antigo comércio ilegal de placas, ao permitir uma única transferência e definir a validade da autorização em 35 anos. Antes, a permissão era por tempo indeterminado. O passo seguinte foi a realização da primeira licitação para aumento de frota de táxi na cidade – de 2.252 para 3.002 veículos, incluindo carros adaptados para transportar com segurança e dignidade pessoas com deficiência; além de carros adaptados dirigidos por motoristas com deficiência.

Elétricos

No início da semana, o prefeito entregou dois carros 100% elétricos para serem testados pelas centrais de táxi. O teste não terá custos para o Município ou para os taxistas. Se aprovados do ponto de vista técnico, econômico e ambiental, os táxis elétricos poderão ser autorizados para compor a frota do serviço na cidade.

Veja o que mudou no sistema de táxi