Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Covid-19

Por que o teste do novo coronavírus não é feito em todos?

 
Em função do aumento significativo dos casos em investigação em Curitiba nos últimos dias, os exames para o novo coronavírus estão sendo priorizados para os casos graves. 

No entanto, amostras respiratórias para exame do novo coronavírus também poderão ser coletadas em pessoas com quadro gripal que fazem parte do grupo de risco para complicações: bebês menores de 1 ano e idosos acima de 70 anos; pessoas com doenças graves ou crônicas (cardiopatia, doença renal, pulmonar, etc) descompensadas; imunodeprimidos; gestantes; e outras situações especiais.

Esse protocolo segue recomendação do Ministério da Saúde, que disponibiliza os kits de testes, e da Secretaria de Estado da Saúde, que realiza os exames.  Essa orientação está baseada no fato de que há uma limitação do número de exames disponíveis no país e que o tratamento dado aos pacientes não muda com o exame.

Como não existe remédio específico para a infecção pelo novo coronavírus, a médica infectologista da Secretaria Municipal da Saúde, Marion Burger, ressalta que o exame não altera a conduta clínica.

“Todas as ações de isolamento, tratamento dos sintomas, repouso, hidratação e alimentação saudável não dependem do exame e devem ser adotadas para qualquer caso suspeito”, diz Marion.

De acordo com a médica, inclusive, curitibanos com quadros leves de infecção respiratória não devem procurar diretamente a unidade de saúde, UPAs ou hospitais, para evitar riscos. A recomendação é que pacientes com casos suspeitos liguem para a central de atendimento covid-19 da Prefeitura (41-3350 9000) e combinem o procedimento do exame, se for indicado.

“Grande parte dos casos do novo coronavírus são leves e com boa resolução”, lembra a secretaria municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.