Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Ciclomobilidade

Nova Via Calma de Curitiba é inaugurada nas avenidas João Gualberto e Paraná

Uma pedalada com a participação do prefeito Gustavo Fruet marcou nesta sexta-feira (17) a entrega da obra da segunda Via Calma de Curitiba, implantada nas avenidas João Gualberto e Paraná. Curitiba, 17/06/2016 - Foto: Everson Bressan/SMCS

Uma pedalada com a participação do prefeito Gustavo Fruet marcou nesta sexta-feira (17) a entrega da obra da segunda Via Calma de Curitiba, implantada nas avenidas João Gualberto e Paraná. A via, que tem velocidade máxima de 30 quilômetros por hora, liga a região norte à área central da cidade, passando pelos bairros Santa Cândida, Boa Vista, Bacacheri, Juvevê, Cabral, Alto da Glória e Centro Cívico.

Além do prefeito, participaram do passeio entre a nova Via Calma e a Prefeitura o cônsul honorário dos Países Baixos em Curitiba, Robert W. de Ruijter, o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires, o secretário municipal da Saúde, César Titton, o vereador Bruno Pessuti e representantes da Secretaria Municipal de Trânsito e das universidades participantes do acordo de ciclomobilidade entre Curitiba e Holanda firmado em 2015.

A nova estrutura permitirá uma integração ainda maior entre as vias cicláveis da cidade, interligando-se com as ciclovias das ruas Luiz Leão e Mariano Torres, que levam à Via Calma da Avenida Sete de Setembro, e com as ciclovias que levam aos parques Barigui e São Lourenço.

“O objetivo é incentivar as pessoas a utilizar mais a bicicleta como alternativa viária, principalmente para os deslocamentos aos locais de trabalho. Estamos dobrando a capacidade cicloviária de Curitiba, fazendo as ligações entre as diversas vias cicláveis da cidade. Não se mudam hábitos da noite para o dia, e cada ação como a implantação de uma nova ciclovia, ciclofaixa ou ciclorrota é uma vitória. Não queremos tratar o carro como inimigo, mas cada vez mais o espaço público da cidade deve ser utilizado para transportar as pessoas. Este é um processo permanente de educação e conscientização”, diz Fruet.

Os 14 quilômetros de percurso da Via Calma da Avenida João Gualberto/Avenida Paraná (7 quilômetros no sentido centro e 7 quilômetros no sentido bairro) foram todos revitalizados, com recapeamento total das pistas marginais das avenidas. A sinalização da via está sendo finalizada pela Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), mas o percurso já está liberado para o uso dos ciclistas e demais veículos.

A Via Calma é um projeto elaborado pelo Ippuc. A primeira foi implantada em julho de 2014, na Avenida Sete de Setembro, e conta atualmente com grande aprovação dos usuários. A Via Calma permite o compartilhamento do trânsito entre motoristas, motociclistas e ciclistas e um maior respeito aos pedestres da cidade. Os ciclistas têm preferência em transitar pelo lado direito da via (nos dois sentidos), sobre uma área demarcada por uma linha tracejada.

Nos cruzamentos da Via Calma estão localizadas as chamadas bicicaixas, uma área especial e exclusiva de parada para bicicletas nos semáforos, demarcada em vermelho, entre a faixa de pedestres e a área de veículos motorizados. A bicicaixa protege e prioriza os ciclistas quando o semáforo é aberto, e também garante mais segurança nos cruzamentos e assegura a prioridade para as bicicletas na realização de conversões.

A velocidade máxima de 30km/h é indicada por sinalização horizontal e vertical em toda a extensão das avenidas. Os ônibus permanecem circulando nas canaletas exclusivas, com velocidade máxima permitida de 40, 50 e 60km/h, dependendo do trecho.

Nas primeiras semanas de funcionamento da Via Calma da Av. João Gualberto/Av. Paraná, agentes da Setran farão a orientação do trânsito da via, alertando os motoristas e motociclistas sobre a velocidade máxima de 30km/h, o respeito às faixas elevadas, faixas de pedestres e bicicaixas. Após o período de orientação, os agentes de trânsito iniciarão o trabalho de fiscalização periódicas de respeito à sinalização e à velocidade máxima permitida com a utilização de radares estáticos (montados em um tripé).