Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Edifício Verde

Engenho da Inovação terá certificação internacional

O Moinho da Inovação será o primeiro prédio público de Curitiba (e o segundo no Brasil) com certificação internacional de sustentabilidade. Ilustração: IPPUC

O Engenho da Inovação, antigo Moinho Rebouças, será o primeiro prédio público de Curitiba (e o segundo do Brasil) com certificação internacional de sustentabilidade. O projeto da nova ala do edifício - sede da Agência Curitiba e núcleo do Vale do Pinhão - está sendo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) dentro dos parâmetros do Certificado LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), que credencia os chamados “edifícios verdes” ao redor do mundo.

A nova área projetada é apelidada de “Escher”, por produzir efeito ótico que remete aos padrões geométricos do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher (1898-1972). “É um projeto inovador e sustentável que converge à proposta do Vale do Pinhão”, afirma a coordenadora de projetos do Ippuc, Célia Bim. O Vale do Pinhão é o movimento da Prefeitura para estimular a inovação na cidade.

A área total do Escher é de 2.179 m² distribuídos em cinco pavimentos mais o terraço. A estrutura terá auditório com 70 lugares, dois espaços para eventos e exposições, ambientes para coworking público, Fab-Labs e startups, banheiros e área de circulação. O local terá capacidade para abrigar 170 postos de trabalho nos ambientes de coworking.

“Será a primeira estrutura pública totalmente sustentável. Uma prática que integra os projetos públicos de Curitiba nos parâmetros mundiais de sustentabilidade”, reforça a coordenadora de projetos do Ippuc.

A certificação LEED segue critérios e uma escala de níveis que variam conforme a sustentabilidade da edificação no que diz respeito à autossuficiência, ao conforto térmico, à iluminação natural, captação de água de chuva, pouca geração de resíduos no processo construtivo, entre outros quesitos.

Nos níveis estão as categorias Platinum (com pontuação maior que 80), Ouro (pontuação de 60 a 79), Prata (50 a 59 pontos) e Certificado (40-49).

Edificação histórica

O projeto do Escher está sendo elaborado para atingir máxima pontuação. No Ippuc, é conduzido pelos arquitetos Lisiane Soldateli Vidotto e Paulo França.

Lisiane destaca que a manutenção da edificação histórica do Moinho Rebouças conta pontos para a certificação. “Será mantida a característica fabril do edifício dentro da paisagem do Rebouças, que foi o primeiro distrito industrial de Curitiba”, observa.

A ocupação com novos espaços, nos quatro pavimentos e na cobertura do prédio irá respeitar a estrutura existente. Na parte interna, os pavimentos terão por base uma estrutura metálica de forma a garantir a segurança e a estabilidade da edificação.

Para a entrada de luz natural será feita uma abertura na laje da cobertura e em todos os pavimentos permitindo a visualização do espaço como um todo e preservando assim as características internas do prédio.

Certificação

O projeto de Curitiba está na fase final de adequação aos critérios de certificação. A estimativa, de acordo com Célia Bim, é que seja possível licitar o projeto executivo ainda neste ano para que seja elaborado e possibilite que a obra comece em 2020.

O primeiro prédio público (e único até aqui) com certificação LEED no Brasil está em Florianópolis. É a creche Hassis, com certificação Platinum, que atende a 200 crianças e foi construída dentro do conceito “Zero Energia” em que toda a necessidade energética é produzida pela unidade.