Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Saúde

Com 44 novas equipes do Saúde da Família, Curitiba vai ampliar horário de oito unidades de saúde

Até o final de maio, Curitiba contará com 44 novas equipes de Saúde da Família e ampliará o horário de atendimento de oito unidades de saúde para até as 22 horas. O anúncio foi feito pelo prefeito Gustavo Fruet nesta quinta-feira (28), durante a assinatura de decreto que amplia a Estratégia Saúde da Família (ESF) na capital, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Na imagem, secretário municipal da saúde, Adriano Massuda, ministro da saúde, Alexandre Padilha e o prefeito Gustavo Fruet. Foto: Maurilio Cheli/SMCS

Ouça

0

1/5

Até o final de maio, Curitiba contará com 44 novas equipes de Saúde da Família e ampliará o horário de atendimento de oito unidades de saúde para até as 22 horas. O anúncio foi feito pelo prefeito Gustavo Fruet nesta quinta-feira (28), durante a assinatura de decreto que amplia a Estratégia Saúde da Família (ESF) na capital, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

“Vamos fazer em seis meses o equivalente ao que foi feito nos últimos seis anos”, disse Fruet. Com as medidas, até o final do mês de maio a cobertura do Saúde da Família em Curitiba chegará a 47% da população – cerca de 800 mil pessoas. Oito unidades passarão a contar com a ESF e terão seu horário de atendimento ampliado até as 22 horas.

Hospitais recebem R$ 22 milhões para reestruturação e custeio

Na Unidade de Saúde Camargo, no Cajuru, o horário de atendimento será ampliado a partir do dia 8 de abril. Até o final de maio, o horário será estendido também nas unidades Bairro Alto, Bairro Novo, Eucaliptos, Camargo, Oswaldo Cruz, Nossa Senhora da Luz, Ouvidor Pardinho, Concórdia e Vila Guaíra.

Das 44 novas equipes de Saúde da Família, 20 começam a atuar já no mês de abril e outras 24 em maio. As novas equipes atuarão nas unidadesBairro Alto, Eucaliptos (Boqueirão), Camargo (Cajuru), Oswaldo Cruz e Nossa Senhora da Luz (CIC), Ouvidor Pardinho e Mãe Curitibana (Centro), Santa Quitéria e Concórdia (Pinheirinho).

Decreto

Com a mudança no decreto, todas as 109 unidades de saúde de Curitiba poderão abrigar a ESF. Ainda no primeiro semestre de 2013, estará em 64 unidades, chegando a 229 equipes de Saúde da Família. “Iniciamos uma nova fase da Atenção Primária à Saúde em Curitiba. Não existe sistema de saúde que se organize no mundo sem uma boa estrutura de atenção primária, com resolutividade e uma equipe qualificada”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Adriano Massuda.

O prefeito Gustavo Fruet lembrou que o investimento e o fortalecimento da atenção básica é uma das principais metas da gestão. “Além de reforçar as ações de saúde, vamos desafogar as unidades de pronto-atendimento 24 horas”, comentou Fruet.

Padilha, que já tinha anunciado R$ 22 milhões em recursos para os hospitais do Trabalhador, Evangélico e do Idoso, afirmou que a assinatura do decreto é a “principal ação da Prefeitura na área da saúde”. “A expansão da atenção primária é de extrema importância, porque assim não será necessário as pessoas recorrerem aos hospitais”, analisou o ministro, referindo-se à melhoria da resolutividade proporcionada pela Estratégia Saúde da Família, que faz com que a população tenha seus problemas resolvidos nas unidades básicas. “O Ministério dará todo o apoio para a ampliação da Estratégia de Saúde da Família”, garantiu o ministro.

Vantagens

Com a assinatura do novo decreto da Atenção Primária à Saúde, as unidades ESF passam a contar com profissionais de saúde generalistas, conforme as especificações da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB); Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) – equipes de saúde multiprofissionais com a finalidade de complementar oscuidados necessários às comunidades – e Equipes de Consultórios de Rua – unidades móveis de saúde responsáveis pelo atendimento à população de rua.

As ESF são formadas por médico, enfermeiro, auxiliar de enfermagem e agentes comunitários de saúde – profissionais que moram na região e que reforçam a aproximação entre as equipes e a comunidade – além de dentista e auxiliar de saúde bucal.

Conforme o novo decreto, o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) passa a contar com pelo menos cinco profissionais de outras especialidades, segundo a demanda específica da unidade. Podem compor os NASF: psicólogo, fisioterapeuta, nutricionista, farmacêutico, profissional de educação física, terapeuta ocupacional, assistente social, fonoaudiólogo, clínico geral, gineco-obstetra, pediatra, psiquiatra, médico do trabalho e médico veterinário.

O número de equipes cadastradas no Programa de Melhoria do Acesso e Qualidade (PMAQ), do Ministério da Saúde passou de 117 para 529 equipes da atenção primária e especialidades odontológicas, com um incremento de recursos que passa de R$ 567 mil para R$ 2,83 milhões por mês, condicionado ao desempenho das equipes.