Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Fotografia

Acerte os ponteiros com os relógios históricos e curiosos de Curitiba

Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais de Curitiba, o edifício neogótico inspirado na Catedral de Barcelona, teve projeto do arquiteto francês Alphonse de Plas. Foi promovida a Catedral em 1911 e a Basílica Menor em seu centenário em 1993. Na fachada o relógio mecânico, circular, dois ponteiros, face branca, números romanos (4 grafado IIII), graduado, total de dois (um em cada torre). Curitiba, 10/04/2019. Foto: Luiz Costa

A nova edição da série Olhar Curitiba, publicada no site da Prefeitura, traz os relógios espalhados pela cidade. Pode ser que eles já não atraiam olhares de quem esteja querendo conferir a hora, um hábito já esquecido na era dos celulares, mas merecem atenção pela beleza, pela história que carregam ou por serem curiosos.

Não são poucas as pessoas que já citaram o Relógio da Praça Osório, na Boca Maldita como referência ao marcar um encontro. É um dos mais antigos de Curitiba, instalado em 1914.

Também no calçadão da Rua XV de Novembro está o relógio digital da década de 1970, instalado pela Joalheria Boiko. É um dos mais famosos entre os contadores digitais e um dos primeiros a marcar as horas (e temperatura) sem o uso de ponteiros. 

Igrejas também têm seus famosos marcadores de tempo. É o caso da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais e do Relógio da Ordem, este último instalado na igreja mais antiga da cidade, construída em 1737.

Os prédios históricos de Curitiba são outros espaços em que é possível conferir a hora. Como no Paço da Liberdade, na Praça Generoso Marques. Ou na fachada do Hospital de Caridade da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia. E, ainda, na estação ferroviária de Curitiba, inaugurada em 1885.

Empreendimentos mais recentes não deixaram de lado a tradição dos relógios, como o edifício Curitiba Trade Center, um dos mais altos da cidade. São três relógios, um no saguão e dois na sua torre que mede 5 metros de diâmetro. A Rua 24 Horas, a primeira do Brasil a oferecer atendimento dia e noite, tem dois grandes relógios, um em cada entrada.

Das flores

E há relógios que fogem do tradicional. É o caso do Relógio das Flores, na Praça Garibaldi, no setor histórico da capital. Foi um presente oferecido pela família de relojoeiros Rosenmann, no ano de 1972. O Parque Italiano, inaugurado em 2010, conta com um relógio do Sol, construído em concreto. Outro relógio de sol está na Praça Tiradentes, na fachada da Farmácia Stellfeld, a primeira de Curitiba, aberta em 1857 por Augusto Stellfeld.