Prefeitura Municipal de Curitiba 156 Acesso à informação
Eficiência energética

Painéis solares na Prefeitura começam a funcionar no primeiro semestre de 2019

O prefeito Rafael Greca assinou, nesta quarta-feira (19/12), a ordem de serviço para a implantação dos painéis solares no telhado do Palácio 29 de Março, sede da administração municipal. Foto: Luiz Costa/SMCS

O prefeito Rafael Greca assinou, nesta quarta-feira (19/12), a ordem de serviço para a implantação dos painéis solares no telhado do Palácio 29 de Março, sede da administração municipal. A solenidade aconteceu no Salão Brasil da Prefeitura e contou com a participação da governadora Cida Borghetti.

Com o documento, a empresa Quantum Engenharia Ltda, vencedora do processo licitatório, fica autorizada a iniciar as obras. Os trabalhos devem começar em janeiro, com previsão de conclusão para o mês de março. O valor máximo do contrato é de R$ 552.374,11.

Os recursos são provenientes do Programa de Eficiência Energética da Copel Distribuição, regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O dinheiro também será investido na substituição das lâmpadas atuais por lâmpadas de LED e em um sistema de monitoramento.

O Sistema de Geração Elétrica a partir de fonte solar – Sistema Fotovoltaico no Palácio 29 de Março terá investimentos totais de R$ 997.277,14. Somadas, a substituição das lâmpadas e a geração fotovoltaica devem reduzir em aproximadamente 50% o consumo de energia do Palácio 29 de Março.

“É apenas o início do Centro Cívico Solar, queremos todos os palácios autossuficientes em energia, além dos terminais de ônibus”, disse o prefeito.

LEIA MAIS

A secretária do Meio Ambiente, Marilza de Oliveira Dias; o diretor de Marketing da Copel, Paulo Krauss; e o representante da empresa vencedora, Murilo Vill Magalhães participaram da assinatura.

Outras iniciativas

A instalação dos painéis faz parte do programa de eficiência energética Curitiba Mais Energia, que ainda prevê a construção de uma Pequena Central Hidrelétrica no Parque Barigui, uma doação da Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas (Abrapch).

Além de mais painéis solares no antigo aterro da Caximba, projeto vencedor de uma verba de apoio de US$ 1 milhão fornecida pelo C40 Cities Finance Facility, entidade internacional que facilita o acesso a financiamentos para projetos de mitigação de mudanças climáticas em áreas urbanas.

O valor deve ser utilizado para estruturação do projeto e busca de recursos internacionais para viabilização. O anúncio foi feito em novembro, em Berlim. “Com a pirâmide solar da Caximba, seremos a primeira cidade do Brasil a ter uma usina de energia solar”, comemorou Greca.