Registrar
Acesso à informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Pessoa com Deficiência

Ônibus do Programa Acesso atendem 1.037 pessoas cadastradas

01/01/2016 10:20:00

Desde março de 2013, quando o Programa Acesso começou a funcionar, seus micro-ônibus realizaram cerca de 15 mil atendimentos aos 1.037 usuários cadastrados nas nas nove administrações regionais de Curitiba. O Ônibus Acesso pega a pessoa em casa, leva para consultas de saúde e retorna às residências dos pacientes.

O serviço oferece transporte seguro para pessoas com deficiência que não têm condições de usar outros tipos de transporte. Cada um dos nove ônibus atende, em média, 100 usuários por mês.

“Ficamos felizes por mais um ano de serviço prestado. O Acesso, além de colaborar para garantir o direito à saúde para quem tem mais dificuldade, é uma ferramenta para a cidadania”  disse a secretária municipal da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdócimo.

Arthur Miguel Pontes de Souza tem 6 anos de idade, mas aos oito meses foi acometido pela síndrome da microduplicação do cromossomo 1, doença genética caracterizada por distúrbios neurocomportamentais, déficit cognitivo, atraso de linguagem e convulsões. Sempre acompanhado da mãe Rosa Pontes de Souza, Arthur utiliza o transporte Acesso desde março de 2013.

Ele realiza sessões fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional na Escola Especial Vivian Marçal e no Centro de Reabilitação Vitória, utilizando Acesso. “Antes do Acesso, eu levava o Arthur no transporte convencional. Ele vivia doente, eram mais difíceis os deslocamentos e muitas vezes eu gastava com táxi. Com o Acesso, mudou tudo. E a continuidade do tratamento permitiu avanços no estado clínico e físico dele. É uma benção”, destacou Rosa Pontes.

A dupla Carlos Aparecido dos Santos, motorista, e Valdete Helena de Lima Chaves, atendente do ônibus da Regional Pinheirinho, relatam os benefícios que o transporte promove para quem o utiliza e a interação com cada usuário.

“O Arthur, por exemplo, sempre que aprendia algo novo na terapia ou uma melhora, de alguma forma ele se comunicava com a gente. Uma delas foi quando conseguiu cruzar as pernas e chamou minha atenção para eu ver. E ele sorriu de alegria. Isso é fantástico e só acontece porque o Acesso existe”, disse Valdete.

“Trabalho no período da manhã desde o início da implantação do Acesso no Pinheirinho. Nossa rota atende 47 pontos e fazemos uma média de 150 quilômetros por dia. É uma satisfação enorme fazer parte desse Programa que garante o direito dessas pessoas”, disse Aparecido, como é chamado no transporte.

Em uma rua estreita no bairro Santa Quitéria reside Maria Geni Fiatkoski, 64 anos, mãe de Paulo Sérgio, 40 anos, usuário de cadeira de rodas e que nasceu com paralisia cerebral infantil. Dona Geni avalia o Acesso como a melhor atenção dada pela Prefeitura na área da saúde. “Cheguei a tirar meu último dinheiro para pagar condução para levar meu filho em consultas. Desde que o Acesso chegou, não perdemos um agendamento e o Paulo, aguarda ansioso para sair e adora o atendimento da equipe do ônibus”, disse.

Ônibus decorado

São os atendentes que também acabam observando a melhora dos usuários e se doam para tornar o ambiente do ônibus, além de seguro, mais alegre.

Laíde Godinho de Barros, é atendente do ônibus Acesso da Regional Bairro Novo e em todas as datas comemorativas, como Páscoa, Festa Junina e Natal, ela decora o interior do ônibus. São bandeiras, cartazes, informações no chão do ônibus e até um detalhe que chama atenção das crianças:um trenó do Papai Noel, fixado na porta de entrada, solta bolinhas de sabão imitando neve.

“Faço isso há anos, desde quando trabalhava em ônibus escolar. É a maior satisfação do mundo ver as crianças abrirem um sorriso e o brilho nos olhinhos deles quando entram no ônibus. Isso não tem preço e vale a pena todo esforço”, comentou Laíde.

Avanço

Implantado em março de 2013, o projeto iniciou na regional Pinheirinho e gradativamente foi incorporando um micro-ônibus para cada regional.

Neste ano os micro-ônibus foram reformados e adequados para ampliar as vagas para usuários de cadeira de rodas, de quatro para sete lugares, permitindo assim atender a demanda de atendimentos, que vem crescendo.


Quem pode usar o Acesso

Pessoas com deficiência:

- com restrições de movimento, autonomia e/ou comportamento;
- que não conseguem utilizar o transporte público comum;
- com renda familiar, per capita, de até um salário mínimo nacional;
- com residência em Curitiba.


O trajeto do Acesso

O ponto de partida é a moradia da pessoa com deficiência.
O ponto de chegada são endereços de:
- serviços de saúde – consultas, exames, habilitação e reabilitação;
- atendimentos socioassistenciais não continuados.


Como se credenciar

A pessoa com deficiência ou seu responsável entra em contato com o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da região. Leva cópias do documento de identidade, comprovante de residência e do laudo médico da deficiência (emitido até dois anos antes);

- A assistente social do Cras preencherá uma ficha cadastral do serviço;
- Essa ficha deve ser encaminhada juntamente com cópias dos documentos para  análise técnica da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência;
- A Secretaria emite a carteirinha de usuário com validade de 2 anos;
- A pessoa com deficiência ou seu responsável apanha a carteirinha de usuário no Cras. Junto será entregue o regulamento do serviço.


Como usar o Acesso

O transporte Acesso é agendado com uma semana de antecedência.

O usuário cadastrado ou seu responsável liga para a Administração da Regional de referencia da família. Informa nome, número da carteirinha, destino, dia e horário pretendido.


Dúvidas e outras informações 

Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência -SEDPcD
Telefones: (41) 3262-1314 e 3363-5236
E-mail: acessopcd@pmc.curitiba.pr.gov.br

 

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484