Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Vale do Pinhão

Business Round mostra como Ebanx e MadeiraMadeira saíram da ideia ao bilhão

Nesta segunda-feira, reuniram-se Alphonse Voigt, do Ebanx e Robson Privado, da MadeiraMadeira, que revelaram decisões e estratégias que ajudaram as empresas da capital a conquistaram o tão sonhado patamar de unicórnios. Curitiba, 22/02/2021. Foto: Divulgação.

 

Muito trabalho, perseverança e melhoria constante de um projeto relevante. Com essa mentalidade, as startups curitibanas Ebanx e MadeiraMadeira conquistaram o tão sonhado patamar de unicórnios — empresas de base tecnológica avaliadas em US$ 1 bilhão.

Durante bate-papo descontraído no primeiro Business Round de 2021, nesta segunda-feira (22/2), Alphonse Voigt, do Ebanx, e Robson Privado, da MadeiraMadeira, revelaram decisões e estratégias tomadas que ajudaram as empresas da capital a se tornarem os dois primeiros unicórnios do Sul do Brasil.

No encontro on-line, promovido pelo Vale do Pinhão e com mediação de Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, os fundadores do Ebanx e MadeiraMadeira também falaram sobre a importância do Vale do Pinhão para o crescimento do ecossistema de Curitiba.

“Da ideia ao bilhão, as duas startups são uma amostra do amadurecimento do Vale do Pinhão e uma inspiração para que outros empreendedores da cidade gerarem soluções e serviços baseados em tecnologia, eficiência e inovação”, afirmou Cris, durante o evento transmitido pela internet. 

As trajetórias do Ebanx, líder em serviços de processamento de pagamentos, e da MadeiraMadeira, maior plataforma de produtos para casa da América Latina, mostram que é possível escalonar modelos de negócios disruptivos com altas taxas de crescimento.

“Nossos dois unicórnios estão testando, aprendendo diariamente e implementando novas versões de produtos, experiências de compra e serviços nos designs sprints (processos para reduzir o risco)”, acrescentou a presidente da Agência Curitiba.

 

Lições passadas pelos fundadores dos unicórnios curitibanos, no primeiro Business Round de 2021

Ter foco

Para Robson Privado, a MadeiraMadeira nasceu com um propósito claro e ousado: ser uma super plataforma de produtos e serviços para casa. Depois de estruturar a startup, que começou como dropshipping (uma estratégia de logística sem estoque que aumenta a escala e a flexibilidade do e-commerce), seus fundadores (ao lado de Privado, estão Daniel e Marcelo Scandian), decidiriam expandir, buscando investimentos. “Com isso, estamos dando acesso, através da nossa plataforma e agora com as 14 guideshops (lojas vitrine, sem vendas), a móveis de qualidade por um preço justo”, contou.

Transparência e saber delegar

Alphonse Voigt afirmou que transparência é a palavra-chave para o sucesso de uma startup. “Se você quer que sua startup cresça e seja bem-sucedida, compartilhe mais informações com seu time, clientes e potenciais investidores. É a base da governança corporativa. Procure integrar e compartilhar inputs (dados) com as informações periódicas que devem ficar disponíveis”, afirmou ele, que fundou o Ebanx ao lado de Wagner Ruiz e João Del Valle. Voigt salientou ainda que no começo os fundadores da empresa estavam presentes em todos os processos de trabalho. “Com o tempo, você precisa aprender a delegar. Sempre é difícil, mas considero importante orientar e apostar na competência do nosso time que já chega a quase mil ebanxers”, disse ele.

Trabalho duro e senso de oportunidade

Robson Privado garantiu que não há mágica para transformar uma startup em unicórnio. “É um trabalho de anos, árduo e contínuo, com muita renúncia”, justificou o executivo da MadeiraMadeira. De acordo com Alphonse Voigt, uma startup consegue escalar quando a ideia é pensada para transformar um mercado. “Mas é preciso muito trabalho, paciência e resiliência, com acertos e erros. Damos muito mais do que solução de pagamento. Hoje as pessoas têm a oportunidade de comprar produtos e ter serviços globais que antes seriam acessíveis apenas a uma parcela da população”, reforça o fundador do Ebanx.

Vale do Pinhão

Apontados como inspiração para os demais empreendedores do Vale do Pinhão, os fundadores do Ebanx e da MadeiraMadeira destacaram a importância do movimento da Prefeitura e do ecossistema para o surgimento de novas startups e o crescimento econômico de Curitiba. “O trabalho conjunto do poder público, como as ações da Agência Curitiba, e de todo o ecossistema tem ajudado no crescimento dessas empresas”, disse Voigt. Para Robson Privado, é uma questão de tempo que outras startups conquistem o posto de unicórnios do Vale do Pinhão (a lista pode ter ainda este ano Contabilizei, Pipefy e Olist, segundo expectativa do mercado).

A primeira edição do Business Round do ano também teve a participação de Marlon Alves Cardoso, gestor de Inovação e Startups da Agência Curitiba, responsável pela organização do evento.