Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Trânsito

Setran começa a utilizar radares estáticos na fiscalização de velocidade

A Prefeitura de Curitiba começará a utilizar radares estáticos na fiscalização de velocidade de veículos nas ruas da cidade a partir desta quinta-feira (16). Foto: Gabriel Rosa/SMCS

A Prefeitura de Curitiba começará a utilizar radares estáticos na fiscalização de velocidade de veículos nas ruas da cidade a partir desta quinta-feira (16). Os equipamentos já estão sendo usados em operações de fiscalização da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) na Via Calma da Avenida Sete de Setembro e na faixa exclusiva da Rua XV de Novembro.

A decisão sobre onde utilizar os radares estáticos (equipamentos que são montados em um tripé e podem ser colocados em vários pontos da via) está apoiada em uma pesquisa realizada no mês de agosto pela Setran, que analisou o comportamento dos condutores de Curitiba no respeito aos limites de velocidade nas vias públicas, e também pelos diagnósticos do projeto Vida no Trânsito, que analisa os acidentes de trânsito com vítimas fatais na capital paranaense.

O levantamento constatou que muitos motoristas têm excedido os limites de velocidade nas vias da cidade. Do total de veículos pesquisados, 42,6% ultrapassaram a velocidade permitida na via. Entre os diferentes grupos de veículos (automóveis, motocicletas, ônibus, caminhões e especiais), o que possui o maior percentual de infratores é o de motocicletas. Depois aparecem os automóveis e, por último, os ônibus.

Agentes da Setran irão monitorar o respeito aos limites de velocidade em vias onde houve mortes no trânsito na cidade, de acordo com o georreferenciamento do Vida no Trânsito; locais de desrespeito aos limites de velocidade apontados pela população através do serviço 156; além da continuidade do trabalho na Via Calma da Avenida Setembro e na faixa exclusiva da Rua XV de Novembro.

"A fiscalização da velocidade nas ruas é atribuição da Setran e é muito solicitada pela população curitibana. Porém, há aqueles que não obedecem e nem se sujeitam às normas de trânsito, colocando em risco todas as pessoas na cidade. Precisamos urgentemente mudar este quadro para evitarmos as mortes e os acidentes no trânsito de Curitiba”, afirma a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli.

Segundo o Vida no Trânsito, em 2013 a velocidade foi fator contributivo em 46 acidentes fatais ocorridos na capital paranaense – principalmente naqueles que envolveram automóveis e motocicletas. A velocidade e o uso do álcool são os principais fatores de risco identificados pelo projeto. As infrações de velocidade são as mais cometidas no trânsito em Curitiba – 308.019 mil em 2012, 305.174 mil em 2013 e 151.144 mil até julho de 2014.

Pesquisa

Os dados da pesquisa da Setran foram separados por grupos de veículos: automóveis, motocicletas, caminhões, ônibus e veículos especiais (remoção, segurança, pública, ambulâncias, etc).

Em todas as vias, o grupo com o maior número de infratores é o de motocicletas. Nas vias comuns (arteriais e coletoras), das 168 motocicletas pesquisadas, 104 (61,9%) excederam o limite de velocidade permitido na via: 54 excederam a velocidade em até 20%; 43 entre 20% e 50%; e 7 acima de 50%.

Dos 982 automóveis pesquisados, 447 (45,5% do total) cometeram infrações: 267 excederam o limite de velocidade permitido na via em até 20%; 143 ficaram entre 20% e 50% acima da velocidade; e 37 acima de 50%.

Ainda nas vias comuns, entre os caminhões, dos 91 pesquisados, 11 (12%) cometeram infrações: nove excederam a velocidade em até 20% e dois entre 20% e 50%. Entre os ônibus, dos 31 pesquisados, dois (6,4%) excederam a velocidade entre 20% e 50%. Os dois veículos especiais (remoção, segurança, pública, ambulâncias, etc.) pesquisados excederam a velocidade em até 20%.

Na Via Calma, que tem velocidade máxima de 30 km/h, a pesquisa foi realizada antes da implantação oficial, que aconteceu em 21 de agosto. Dos 130 automóveis pesquisados, 52 (40%) cometeram infrações: 33 excederam a velocidade em até 20%, 14 entre 20% e 50% e 5 acima de 50%. Das quatro motos pesquisadas, 3 (75%) foram infratoras:  uma em até 20% e duasentre 20% e 50%. Dos 39 ônibus pesquisados, apenas um excedeu a velocidade em até 20%. Dos dois veículos especiais pesquisados, um excedeu a velocidade em até 20% e outro excedeu entre 20% e 50%.

Na faixa exclusiva de ônibus da Rua XV de Novembro, com velocidade máxima de 50 km/h, dos 30 ônibus pesquisados, quatro (13,3%) cometeram infrações: três excederam a velocidade em até 20% da velocidade e um entre 20% e 50%. Os dois veículos especiais pesquisados excederam a velocidade entre 20% e 50%.