Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Experiências em debate

Secretários municipais fecham o Encontro das Cidades Educadoras

Segundo dia de encontro traz debate entre secretários.

 

O segundo e último dia do VIII Encontro Nacional das Cidades Educadoras e I Seminário da Secretaria Municipal da Educação – Territórios, Inovação, Educação Integral e Sustentabilidade: Contextos e Práticas incluiu relatos de experiências, palestras e um debate entre secretários municipais sobre as Cidades Educadoras e a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

A Agenda tem como objetivos o combate à pobreza, à fome, redução de desigualdades, promoção do crescimento econômico sustentável e promoção da paz em escala global. Tem 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 169 metas a serem implementadas por todos os países.

Os ODSs estão presentes em diversas ações, projetos e programas da Prefeitura de Curitiba, como o Linhas do Conhecimento, que transforma os espaços da cidade em salas de aula.

Participaram do “Café com Especialistas” os secretários municipais Márcia Huçulak (da Saúde) e Luiz Fernando Jamur (do Governo Municipal e presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba - Ippuc), o presidente da Fundação de Ação Social, Fabiano Vilaruel, o presidente do Insituto Municipal de Administração Pública (Imap), Alexandre Matchinske, e o professor Alceli Ribeiro Alves, doutor em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A mediação foi feita pela secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, e pelo coordenador executivo das Cidades Educadoras, Nelson Bucker.

O secretário do Governo frisou que o planejamento da cidade tem que ser feito para toda a sociedade. “O foco deve estar nas pessoas, principalmente naquelas que mais precisam da presença do poder público”, pontuou Jamur.

“Curitiba é cidade educadora por vocação. Programas como o Linhas do Conhecimento e o Fala Curitiba, que destaca a participação cidadã nas decisões da cidade, são grandes exemplos”, disse Maria Sílvia.

Valorizar o diferente

A palestra “Por que precisamos de Cidades Educadoras?”, com o professor doutor Paulo Louro, da Rede de Cidades Educadoras de Portugal, foi um dos destaques do dia.

“Precisamos de cidades educadoras porque precisamos conhecer o outro, porque temos passado e memória, porque precisamos ir ao encontro do outro e valorizar o que é diverso. Precisamos romper linhas que separam territórios e culturas. É preciso cuidar de nós, dos outros e cuidar do planeta”, disse Louro.

O Encontro das Cidades Educadoras teve dois dias de programação, totalmente no formato on-line, com debates, palestras e painéis sobre as bases conceituais das cidades educadoras, territórios educativos e o papel das universidades nesse processo.

Curitiba integra o grupo de Cidades Educadoras desde outubro de 2019. Atualmente são 500 cidades associadas em 36 países.

“Quero agradecer a todos, que possamos nos enxergar cada vez mais potentes e nos fortalecermos nas políticas que desenvolvemos”, disse Maria Sílvia, no encerramento do evento. "Tomara que tenhamos inspirado muitas cidades", completou.

Foram mais de vinte horas de transmissão ao vivo, pelo YouTube da Secretaria Municipal da Educação, com 60 painéis, 80 relatos de experiências e mais de 10,5 mil participações pelo canal.