Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Bolsão Audi/União

Parque da Imigração Japonesa será inaugurado em junho

Em fase final de implantação, o Parque da Imigração Japonesa terá como uma das principais atrações um centro de eventos localizado numa ilha, no meio de dois grandes lagos. Foto: Jaelson Lucas/SMCS (arquivo)


No próximo mês de junho, Curitiba ganhará mais um parque. Em fase final de implantação, às margens do Rio Iguaçu, o Parque da Imigração Japonesa terá como uma das principais atrações um centro de eventos localizado numa ilha, no meio de dois grandes lagos. O parque está situado no bolsão Audi/União – região que está recebendo a primeira Unidade Paraná Seguro. Os investimentos, entre obras e equipamentos, ultrapassam a R$ 3,6 milhões.

Com uma estrutura redonda de metal e vidro similar à estufa do Jardim Botânico, o centro de eventos do parque vai sediar exposições e também servirá como sede administrativa do novo parque. Já os lagos vão servir para contenção de cheias. “É uma obra feita em níveis e tecnicamente complexa, principalmente em função das condições de geológicas”, explica o superintendente da Secretaria do Meio Ambiente, Sérgio Tocchio.

No entorno dos lagos, contornando os 385 mil metros quadrados do parque, está sendo construída uma pista de caminhada. A população poderá desfrutar ainda de outros equipamentos de esporte e lazer como quadras esportivas.
 
Às margens da Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres), o novo parque será um cartão de visitas para quem chega à capital paranaense pelo aeroporto Afonso Pena, além de ser uma recuperação estratégica de uma antiga área de invasão que ficava às margens do rio Iguaçu.

O Parque da Imigração Japonesa é uma parte do pacote de obras de urbanização e revitalização que a Prefeitura de Curitiba executa na região da Vila Audi/União. Para a instalação do parque, a Cohab transferiu 855 famílias que viviam em condições irregulares e insalubres na área.

Além da transferência, outras 473 famílias estão sendo remanejadas dentro da própria comunidade para melhorar as condições de moradias e facilitar a recuperação ambiental da região. “Além de transformar completamente a paisagem, a implantação do parque evitará que outras ocupações se formem”, diz Tocchio.

Outros parques - Curitiba é conhecida nacionalmente por suas grandes quantidade de parques. Atualmente, há 21 em operação, totalizando 19 milhões de metros quadrados de área. Saiba um pouco mais sobre alguns dos principais:

Barigui – Com 1,4 milhão de metros quadrados, é importante área de preservação natural da região central da cidade. Nele a população encontra também diversas opções de lazer.

Jardim Botânico - Funciona como um centro de pesquisas da flora do Paraná. Contribui para a preservação e conservação da natureza, para a educação ambiental e ainda oferece uma alternativa de lazer para a população.

Passaúna - Inaugurado em 1991, o parque nasceu para preservar a qualidade da água da represa do Rio Passaúna, considerada como interesse de proteção ambiental e responsável por parte do abastecimento de água para a população curitibana. Tem mirante de 12 metros de altura, trilha ecológica e equipamentos de lazer.

Tanguá – Construído numa região de pedreiras desativadas, oferece uma área de lazer com lagos, ancoradouro, lanchonete, pista de corrida, ciclovia, túnel e o Jardim Poty Lazzarotto. Localizado entre os bairros Taboão e Pilarzinho, tem 235 mil metros quadrados.

Tingui - Faz parte de um projeto mais abrangente da Prefeitura de Curitiba, que prevê a implantação de um parque linear em toda a extensão do Rio Barigui, unindo-o aos parques Tanguá e Barigui. Obra de saneamento e preservação ambiental, o Parque Tingui alterna em sua pista de caminhada paisagens de lagos, pontes e mata nativa. Também abriga o Memorial Ucraniano.

 São Lourenço
- No local está o Centro de Criatividade, que sedia atelier de artes e ofícios, auditório, espaço de exposições e biblioteca; a casa do escultor Erbo Stenzel, que funciona como museu e espaço de exposições; e a Casa da Leitura, entre outras atrações. Também conta com estrutura de esportes e lazer.

 Barreirinha - Com área de 275 mil metros quadrados, entre araucárias, aroeiras, manjeronas, canelas, bracatingas, pés de erva-mate e outras espécies nativas. No parque estão espalhadas churrasqueiras, play-ground, biblioteca e outros equipamentos de lazer.