Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade Curitiba-Ouve 156 Acesso à informação
Inscrições abertas

Fazenda Urbana retoma visitas guiadas

Visitas guiadas à Fazenda Urbana de Curitiba estão sendo retomadas com turmas semanais na próxima terça-feira dia 23/02/2021. Foto: Daniel Castellano / SMCS

 

Suspensas devido à pandemia, as visitas guiadas à Fazenda Urbana do bairro Cajuru estão sendo retomadas com turmas semanais. As inscrições para março poderão ser feitas a partir da próxima sexta-feira (26/2) no site Aprendere da Prefeitura.

Na Fazenda Urbana, durante duas horas, o visitante terá uma experiência vivencial das principais etapas do ciclo alimentar. Nesta terça-feira (23/2), ocorre uma visita, das 9h às 11h, mas as 20 vagas estão esgotadas.

A partir de março, serão duas visitas guiadas semanais, que ocorrerão a partir da segunda quinzena do mês. Nas duas primeiras semanas, serão realizadas visitas especiais dentro da programação do Dia Internacional da Mulher e do aniversário de Curitiba.

Desde a inauguração, em junho de 2020, a Fazenda Urbana de Curitiba funcionou parcialmente para visitas guiadas, seguindo os decretos de prevenção à covid-19. O início dos passeios com acompanhamento ocorreu apenas em setembro e as visitas foram suspensas em novembro. Foram 12 turmas agendadas pela internet. 

O secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, destaca que a Fazenda Urbana de Curitiba é um inédito espaço no Brasil dedicado à educação para prática agrícola sustentável nas cidades. 

“Com as visitas guiadas e outras atividades vamos compartilhar com a população a complexidade envolvida na produção de alimentos, do campo até as gôndolas dos supermercados, e incentivar o cultivo em espaços urbanos”, observa.

Estrutura

Em uma área de 4.435 m², ao lado do Mercado Regional do Cajuru, a Fazenda Urbana de Curitiba reúne os mais modernos métodos de plantio de alimentos saudáveis, sem agrotóxico. São mais de 60 variedades agrícolas orgânicas cultivadas em hortas, com a produção de frutas, legumes e verduras, além de ervas, temperos, chás e plantas alimentícias não convencionais (PANCs).

Há desde hortas convencionais no solo feitas com troncos de madeira, canos de PVC ou garrafas PET a estruturas suspensas (acessíveis para cadeirantes), bem como para pequenos espaços que usam caixa de isopor (irrigação por capilaridade).

O espaço da Prefeitura tem também estufas de culturas mais sensíveis (como tomate, pepino, rúcula) e para mudas destinadas às 100 hortas urbanas da capital.

O complexo conta ainda com central de compostagem de resíduos orgânicos do Mercado Regional Cajuru, banco de alimentos para o Mesa Solidária e um contêiner que funcionará como sala de aula.

Além disso, uma cozinha-escola irá oferecer treinamentos e aulas show com chefs, utilizando os alimentos e temperos produzidos no local. O objetivo é demonstrar, na prática, o sabor da refeição produzida em pequenas hortas e estimular as pessoas a aproveitar integralmente os alimentos.

“No espaço, o visitante irá conhecer desde o plantio da mudinha ao preparo do alimento para o consumo consciente e sustentável”, reforça Felipe Thiago de Jesus, diretor do Departamento de Estratégias de Segurança Alimentar e Nutricional da SMSAN, responsável pelo local.

A Fazenda Urbana de Curitiba recebeu ainda o projeto Jardins de Mel, de criação de abelhas nativas sem ferrão. Os insetos ganharam cinco caixinhas, espalhadas pelo complexo, que vão ajudar, por meio da polinização, a aumentar a qualidade e a produção das hortaliças plantadas no novo espaço da Prefeitura.