Prefeitura Municipal de Curitiba 156 Acesso à informação
Regional Tatuquara

Curitibinhas sonham em montar protótipo de avião

Alunos do CMEI Erondy Silvério planejam a construção de um protótipo de avião nas dependências do CMEI. Foto Divulgação

Depois de conhecer de perto um avião de verdade, curitibinhas do CMEI Erondy Silvério deram mais um passo para concretizar o seu sonho coletivo. As crianças almejam um dia fazer um voo em uma aeronave, mas enquanto isso não se torna realidade querem manter o sonho vivo, através da construção de um protótipo de avião nas dependências do CMEI.

Os primeiros estímulos vieram do Projeto Vila Sésamo, de educação financeira para as famílias. As crianças são orientadas a sonhar, planejar e alcançar seus desejos. 

O segundo passo é colocar isso no papel de uma forma lúdica, através de um desenho. No caso do CMEI Erondy Silvério, a maioria das crianças demonstrou o desejo de viajar de avião. Foi aí que surgiu a ideia de levar os curitibinhas para conhecer o Aeroclube de Curitiba em junho.

O sonho não acabou

Mas agora o sonho continua. No começo de agosto estudantes das áreas de engenharias da Universidade Federal do Paraná e do Aeroclube de Curitiba visitaram o CMEI para conversar com as crianças para saber o que eles esperam de um protótipo de avião, além de fazer medições e os primeiros esboços da engenhoca.

“É um desafio bem além do que a gente imaginava, porque nós temos nosso projeto de curso e tem também a questão financeira, mas nós queremos tornar isso realidade”, Thomas Gusso Guras, aluno de Engenharia Mecânica da UFPR.

A ideia inicial é construir um avião pequeno com quatro lugares. “Nós estamos pensando em um avião de 1m de comprimento, com envergadura de três metros para dar a impressão de uma aeronave mesmo”, revelou Thomas.

Muitos botões

Também foram feitos os primeiros estudos de onde fixar o protótipo. “Tem que ser seguro e durar bastante tempo para muitas crianças possam desfrutar do avião. Ele vai ter que ficar pelo a 1,5 metro do solo para evitar acidentes com as crianças”, avalia Thomas.

Ao todo, são 15 estudantes envolvidos nesta empreitada dos cursos de Engenharia Mecânica, de Produção, Civil e Elétrica. “Tem que ser um avião com muitos botões porque agora que eles conheceram a cabine de um avião de verdade, eles querem algo muito próximo desta realidade”, disse. A meta é concluir protótipo até o final novembro.

Piloto motivado

O piloto Leônidas Zabesko, do Aeroclube de Curitiba, também está bastante empolgado com o sonho das crianças.
“Este projeto da escola é muito interessante e a gente viu que no sonho individual das crianças elas pedem casa própria ou emprego para os pais, então isso nos motiva a ajudar a materializar este sonho coletivo”, explicou Leônidas.

Ele está empenhado em buscar patrocínio para financiar os materiais do protótipo. O Projeto Vila Sésamo já doou R$ 1 mil para a causa. Mas para a ideia decolar seriam necessários mais R$ 2 mil.

Sonho coletivo

Lucineia da Rocha Drohomereschi, diretora do CMEI Erondy Silvério afirmou que é contagiante ver o envolvimento das crianças com o projeto e a possibilidade de execução do sonho. Segundo a gestora, “isso nos motiva a perceber que as crianças tem capacidade de envolvimento, tomada de decisões e seus direitos garantidos, além do entusiasmo das famílias em perceberem que seus filhos tem sonhos para além da realidade, e o CMEI tem proporcionado momentos significativos para o desenvolvimento integral das crianças da nossa comunidade”.

As profissionais do CMEI estão empolgadas com o projeto e, principalmente em propor experiências que façam sentido no cotidiano infantil. Para isso, a equipe tem planejado e desenvolvido ações pedagógicas e financeiras para alcançar os objetivos na realização do sonho das crianças que é um diferencial no projeto e também na comunidade.