Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Regional Boa Vista

Curitibinhas plantam mudas de Araucária no parque Atuba

Curitibinhas plantam mudas de Araucária no parque Atuba. Foto: Divulgação

A lição desta segunda-feira (24/6) foi especial para uma turma de 60 estudantes da Escola Municipal Theodoro de Bonna, no Santa Cândida. Os meninos e meninas participaram de uma aula de campo no Parque Atuba, com o plantio de 20 mudas de Araucária.

Realizada em comemoração ao Dia Nacional da Araucária, a atividade aconteceu de forma sincronizada nas dez regionais da cidade. Ao todo 200 mudas do pinheiro foram plantadas por estudantes da rede municipal de ensino, com a participação das administrações regionais, em parques e praças.  As mudas foram fornecidas pelo Horto Municipal.

“A Araucária é a única espécie de árvore que resistiu a muitas transformações do nosso planeta”, disse  a estudante Adrille Cordeiro Gonçalves, 8 anos, do 4º ano da Escola Municipal Theodoro de Bonna.

Antes de plantarem as mudas as crianças ouviram as professoras explicarem sobre a importância da espécie que é ameaçada de extinção. Também conhecida como pinheiro do Paraná, a Araucária pode ser encontrada em quase todo o território.

“Esperamos que quando nós crescermos elas estejam grandes e resistentes”, disse Kettlyn Jordão Almeida Gonçalves, estudante do 4º ano.

Folha estreita

O nome genérico da Araucária deriva de Arauco, uma região do Chile, e seu nome específico é uma palavra latina significando "folha estreita". Foi muito explorada no século 19, devido a sua madeira possuir alto valor econômico bem como os frutos, o pinhão, chegando quase a extinção.

“O dia foi bem especial, gostei de ir ao parque. Ajudamos a preservar a natureza e as Araucárias”, disse Thiago José Rodrigues Moraes, do 4ºano.

Os estudantes estiveram acompanhados pela chefe do núcleo de educação do Boa Vista, Michele Prado e pela administradora regional Janaína Lopes Gehr. “Os estudantes tiveram uma aula diferente, ao ar livre, sobre a  importância de participarem ativamente na preservação dessa espécie nativa que deu nome à nossa cidade”, disse Janaína.

Para Michele Prado, a importância da ação vai além do aprendizado sobre a preservação do meio ambiente. “Eles aprenderam a importância do pinhão como alimento e de que ele só existirá se a espécie for preservada. Quando forem adultos e passarem por lá, certamente vão lembrar de uma forma positiva deste momento”, disse a chefe de núcleo.