Prefeitura Municipal de Curitiba 156 Acesso à informação
Cidadania

Atenção aos Direitos Humanos enriquece formação escolar no Tatuquara

Apresentação do projeto de Educação em Direitos Humanos para a representante da Secretaria Nacional da Promoção da Igualdade Racial na Escola Municipal Dona Pompília no Tatuquara. Na imagem Professora Angela Maria de Castro - Curitiba, 18/03/2019 - Foto: Daniel Castellano / SMCS

A Escola Municipal Dona Pompília, no Tatuquara, recebeu nesta segunda-feira (19/3) uma comitiva da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, que foi conhecer o trabalho da unidade sobre Educação em Direitos Humanos. Os visitantes foram recepcionados com uma apresentação musical inspirada na cultura afro-brasileira.

Duzentos e quarenta estudantes da Educação em Tempo Integral da escola participam de projetos sobre o tema, uma prática consolidada há mais de quatro anos e que envolve assuntos integrados a todas as áreas de desenvolvimento e formação.

A secretária nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena, parabenizou os estudantes e a equipe gestora. “Políticas de igualdade racial se dão primeiramente com a vontade e sensibilidade dos gestores públicos com a pauta”, afirmou.

Na prática

Além da preparação para a cidadania, as ações na escola têm como objetivo conscientizar os estudantes para viverem em uma cultura diversificada e em uma sociedade de direitos. “Os Direitos Humanos são pertencentes a todos, independente de etnia, raça, sexo, nacionalidade, idioma, orientação de gênero, sexual ou qualquer outra”, disse a professora Carla Trisotto, da Coordenadoria de Equidade, Família e Rede de Proteção.

O debate sobre os direitos fundamentais entre as pessoas é direcionado pela professora Ângela Maria de Castro, que aborda questões como identidade, etnias, religião, bullying, culturas e linguagens, diversidade e inclusão. “Falar sobre direitos humanos não é uma tarefa fácil. O assunto faz a pessoa questionar sobre os seus valores e muitos deles permeiam gerações”, destaca Ângela.

A professora conta que o primeiro contato com a turma sobre o respeito à diversidade é feito por meio de recursos literários e a apresentação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A partir disso, são feitos debates com os estudantes.

Atividades em grupo, aula de culinária, teatro, dança, música, produção de textos, olimpíada e desfile da beleza negra também são práticas realizadas para estimular as capacidades de cidadania, tolerância e respeito entre todos. “O que a gente aprende aqui repasso para a família e meus amigos. Acho que o respeito não tem cor e a gente tem que ter um novo olhar sobre nós e o próximo”, comenta o estudante Matheus Miguel de Oliveira, de 10 anos.

Presenças

O assessor de Políticas de Igualdade Racial da Prefeitura de Curitiba, Adegmar Silva, o Candieiro, também participou da visita, acompanhado do estilista senegalês Faye Ndiaga; e do coordenador-geral do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir), Rodrigo José Henriques de Faria.