Ir para o conteúdo
Prefeitura Municipal de Curitiba Acessibilidade 156 Acesso à informação
Regional Boa Vista

Ação voluntária promove a inclusão no Clube da Gente

Clube da Gente Boa Vista. Foto: Daniel Castellano/SMCS

Os Clubes da Gente das regionais Santa Felicidade e Boa Vista, entregues nesta gestão, fazem parte do pacote de infraestrutura urbana e de oferta de serviços públicos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Prefeitura, como parte do Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano de Curitiba.

Os investimentos do chamado BID Pró-Cidades giraram em torno de R$ 380 milhões em 19 intervenções por toda a cidade, nas mais diversas áreas. Nesta quarta-feira (12/6), um seminário marcou o encerramento do programa. A Rua da Cidadania do Cajuru, construída com recursos do BID Pró-Cidades, foi o palco do evento reuniu cerca de 180 pessoas.

No encontro, o destaque foi para além da infraestrutura. Dois depoimentos, de pessoas que fazem um importante trabalho voluntário no Clube da Gente Boa Vista, mostraram que a iniciativa pelo bem comum é o que dá vida a um equipamento público.

Carla Maia, carioca de nascimento, veio morar em Curitiba aos 15 anos de idade e é instrutora de dança no Clube da Gente Boa Vista. Dá aulas de “dança solta”, às segundas e quartas, em dois horários. São 20 alunos por turma com idades de 18 a 79 anos. “Esses dias tinha até um americano na aula”, contou Carla.

Ela procurou o Clube da Gente do Boa Vista para fazer hidroginástica. Lá teve a oportunidade de reavivar o seu talento e retomar a dança um talento e uma prática de anos.

“Sempre dancei. Fiz balé e flamenco, mas achava que não conseguia mais, porque havia engordado. No Clube da Gente o professor me incentivou e pediu para eu preparar uma aula”, contou Carla.

 

Para ela, o suporte dos professores foi o que precisava para também ajudar outras pessoas. “Continuo fazer a aula de hidro e como voluntária consigo ajudar a quem precisa vencer dificuldades”, completou.

Mestre em taekwondo, Cléber Salandin há um ano ministra aulas a turmas com 60 a 70 integrantes de todas as idades, também no Clube da Gente Boa Vista.  

“Sempre tive vontade de trabalhar com crianças. Agradeço muito ao pessoal da regional Boa Vista, da Smelj e do clube da gente pela oportunidade de dar aulas”, disse o professor de taekwondo.


Segundo Mestre Cléber, a união entre os pais, professores e com a equipe do Clube da Gente Boa Vista permite mudar a realidade de muitas crianças da região.