Registrar
Acesso à informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Desafios urbanos

Transporte é o diferencial de Curitiba para avançar na integração metropolitana

27/11/2018 11:04:00

Ao representar o prefeito Rafael Greca no Congresso de Direito à Cidade e de Direito Imobiliário, da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Paraná (OAB-PR), o presidente do Ippuc e secretário de Governo, Luiz Fernando Jamur, apontou a efetiva integração do transporte como o primeiro passo para a consolidação do desenvolvimento da capital com seus vizinhos metropolitanos.

Aberto na noite desta segunda-feira (26/11), na sede da OAB-PR, o evento segue até quarta-feira (28/11). Impossibilitado de comparecer ao Congresso da Ordem, por conta de estar em viagem a São Caetano do Sul (SP), onde participou da 74ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Greca deixou uma mensagem em vídeo aos participantes na qual apontou a integração metropolitana como desafio a ser vencido.

“Temos uma agenda metropolitana a ser implantada. O bem que podemos fazer pelas cidades do Brasil é torná-las cada vez mais justas, como endereços de igualdade de oportunidades para todos”, disse o prefeito na mensagem.


LEIA MAIS:

O presidente do Ippuc abriu a palestra magna com um vídeo sobre inovação, apresentado pelo prefeito no World Smart City Awards, a maior premiação internacional de cidades inteligentes, realizado em Barcelona no início deste mês.

“A nossa aposta está na inovação com base na estruturação urbana. O que difere Curitiba de outras cidades no que diz respeito à conquista de objetivos é o pragmatismo e a obediência ao planejamento”, afirmou Jamur.

Ele destacou que o crescimento demográfico da capital paranaense está em processo de estagnação. “A projeção é que nossa cidade pare de crescer, mas continue a ser pressionada pelo colar metropolitano que a cerca. Dentro dessa perspectiva, a integração é necessária para que haja o desenvolvimento ordenado do conjunto da grande Curitiba”.

Em sua palestra, Jamur também destacou o avanço da capital paranaense ao longo dos anos, com a implantação dos seis eixos de desenvolvimento (norte, sul, leste, oeste, Boqueirão e Linha Verde) e a projeção futura da Conectora 3, na ligação no sentido Leste-Oeste segundo os princípios da integração do uso do solo, aos sistemas viário de transporte.

“É possível dizer que em Curitiba os recursos vieram embarcados em um ônibus. Foi a partir do desenvolvimento do transporte, integrado às demais áreas que conseguimos implantar estruturas de serviços como as ruas da cidadania, entre outras”, observou.

Infraestrutura

A inserção metropolitana em estudo no Ippuc está na projeção desses eixos com a implantação de infraestrutura viária e de estações nos municípios vizinhos que permita viabilização de um sistema e a efetiva integração do transporte. “Curitiba foi selecionada pelo Governo Federal como uma entre 10 cidades a fazer parte do grupo de estudo de eletromobilidade. É um passo importante para a busca de financiamentos de um sistema moderno e movido a partir de uma nova matriz energética”, salientou.

Recursos

De acordo com o presidente do Ippuc, para a evolução do transporte público com foco metropolitano, Curitiba busca recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento. “Estamos buscando de US$ 300 a 600 milhões junto ao BID. A meta é poder consolidar as conexões com os municípios lindeiros e finalizar os eixos de desenvolvimento como a Conectora 3”, disse.
 
Em parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), o município já conta com investimentos na Linha Verde Norte e em projetos de recuperação de margens de rios e prospecta nova parceria para a execução do projeto Bairro Novo da Caximba, de recuperação socioambiental da área da Bacia do Rio Barigui, na divisa de Curitiba com Araucária, região metropolitana.

Segundo Jamur, Curitiba tem hoje em curso investimentos em infraestrutura urbana da ordem de R$ 2 bilhões, dos quais R$ 1 bilhão do Ministério das Cidades e o restante com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

“Conseguimos recuperar a capacidade financeira do município em 2017. Em 2012 chegamos a investir 10% ao ano do orçamento, mas este índice caiu para cerca de 2% nos anos seguintes. Em 2018, investimos 6% do orçamento e para o ano que vem projetamos um investimento de 9%”, disse.

Na opinião do presidente do Ippuc, os números de Curitiba são significativos, uma vez que o porcentual de investimento anual do governo federal gira entre 2% e 4%.

Atlas Metropolitano

Ao fim da cerimônia de abertura foi apresentado Atlas Metropolitano 2018, pelo coordenador de Relações Institucionais do Pró-Metrópole, Alexandre Schlegel, o coordenador Metropolitano junto ao Ippuc, Marcelo Ferraz e Sheila Branco, também do Ippuc. O documento é uma importante ferramenta de compartilhamento de dados para o desenvolvimento integrado de uma região que concentra 39,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná.

A versão eletrônica do Atlas Metropolitano 2018 está disponível no endereço www.prometropole.com.br.

Compuseram a mesa de honra do evento, o presidente da OAB-PR, José Augusto Araújo de Noronha; a vice-presidente eleita da OAB-PR, Marilena Winter; a presidente da Comissão de Direito à Cidade da OAB-PR, Cinthia Fernandes; o vice-presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-PR, Juliano Gobbo; o vice-prefeito de Curitiba e secretário de Obras Públicas, Eduardo Pimentel; a procuradora-geral do município, Vanessa Volpi; o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Serginho do Posto; o Procurador-Geral do Estado,  Sandro Kozikoski, o suplente de senador, Paulo Salamuni, representando o senador Oriovisto Guimarães e o governador eleito, Ratinho Junior.

Também participaram do evento a prefeita de Colombo, Beti Pavin, e o vereador Pier Petruzziello, líder do governo na Câmara Municipal.

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484