Registrar
Lei de Acesso à Informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Plano diretor

Regularização fundiária é tema central de audiência com 250 participantes na CIC

18/11/2014 15:11:00

A 15ª audiência de revisão do Plano Diretor de Curitiba, realizada na noite desta segunda-feira (17), no auditório da Administração Regional CIC, foi a mais concorrida até agora nessa segunda rodada de eventos. Mais de 220 pessoas assinaram a lista de presença, mas estima-se que compareceram cerca de 250 pessoas.

Na plateia estavam líderes comunitários e moradores da Regional, todos interessados em conhecer o andamento da revisão do Plano Diretor e acompanhar as apresentações e a leitura do informativo preparado para as audiências. Para a maioria dos presentes, a habitação era o tema de maior interesse. Foi o caso de Regina de Oliveira que trabalha com produtos para festas. Com 27 anos, mãe de três crianças que mantém sozinha, Regina é moradora da Vila Harmonia, perto do Rio Barigüi. “Vim saber quais são os planos da prefeitura para a habitação aqui na nossa região, pois a regularização de nossos terrenos nos dará muita segurança. É importante para o futuro dos nossos filhos”, disse Regina.

Entre aqueles que ouviam atentamente as apresentações realizadas por arquitetos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) estavam duas freiras da Congregação das Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus. As religiosas Anete Giordani e Emily Luci Buch trabalham no Centro de Assistência Social Divina Misericórdia. Com quatro unidades na CIC e uma no Boqueirão, a entidade atende crianças, adolescentes e idosos. “A maioria das famílias vive há muitos anos na região, mas não possui escritura da propriedade, o que gera insegurança. E o poder público também deixa de arrecadar em impostos. Por isso, resolver essa situação será bom para todos”, disse a irmã Emily Buch.

É uma área em que Curitiba tem avançado bastante nos últimos dois anos. Em 2013, quando o prefeito Gustavo Fruet assumiu, a CIC tinha uma área de 8,5 milhões de metros quadrados aguardando regularização fundiária. Muitos processos se arrastavam há cerca de duas décadas. “Em apenas dois anos, a atual gestão já conseguiu regularizar 2 milhões e 850 mil metros quadrados. E temos outros 5 milhões de metros quadrados em processo de regularização”, afirmou a presidente da Curitiba S. A., Clarice Tanaka. “Estamos trabalhando com muita determinação para reduzir os problemas nessa área e garantir moradia digna para a população”, confirmou o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.

Além da questão da regularização fundiária, as religiosas demonstraram grande interesse nas questões relacionadas a meio ambiente. “Precisamos cuidar dos nossos rios, garantir a limpeza da nossa água. Disso depende a saúde da nossa população”, disse a Irmã Anete Giordani.

Outra moradora da CIC, Lucia Mara Burko, denunciou o mau comportamento de moradores da cidade que costumam despejar lixo na rua em que ela mora. O administrador da Regional CIC, Tom Vargas, elogiou a atitude e afirmou que “todos os casos denunciados e documentados serão investigados pela Prefeitura Municipal de Curitiba. Atitudes como essa, quando comprovadas, sofrem as sanções da lei”.

Perguntas

Ao todo, 35 pessoas se inscreveram para fazer perguntas que, na prática, resultaram em cerca de 60 questionamentos respondidos pelas autoridades presentes e encaminhados para as devidas providências. A maioria das solicitações era referente à regularização de moradias, asfaltamento de ruas, melhorias na sinalização de trânsito e no transporte público, cuidados com os cursos d’água da região, criação de mais canchas desportivas e academias ao ar livre, implantação de parques e praças, criação ou revitalização de centros culturais, sinalização viária e de trânsito, novos postos de saúde, mais vagas em creches, policiamento nas escolas e combate ao tráfico de drogas.

A intensa participação da comunidade levou à ampliação do tempo previsto para a audiência pública na Regional CIC, que terminou por volta das 22 horas. “É comovente testemunhar o interesse dos cidadãos que abrem mão de seu tempo de descanso para estar aqui. Todos desejam uma Curitiba melhor, mais justa, mais igualitária, mais humana. E são eles que fazem a Curitiba mais participativa. Muito mais do que uma tarefa legal, cada audiência pública é uma lição de vida e uma oportunidade de crescimento para todos aqueles que se dispõe a participar”, disse presidente do Ippuc, Sérgio Póvoa Pires.

Os vereadores Dirceu Moreira e Toninho da Farmácia também acompanharam a audiência pública.

Confira os dias e locais das próximas audiências públicas:                       CLIQUE AQUI

CAJURU - 18/11/2014 (terça-feira)
Escola Municipal Elza Lerner (Rua Luiz França, 2873 – Cajuru).

BOA VISTA - 19/11/2014 (quarta-feira)
Auditório III - Rua da Cidadania Boa Vista (Avenida Paraná, 3600 – Boa Vista).

BAIRRO NOVO - 20/11/2014 (quinta-feira)
Escola Municipal Professora Rejane Silveira Sachette (Rua Nova Aurora, 717, próximo à Rua da Cidadania – Sítio Cercado).

PORTÃO - 21/11/2014 (sexta-feira)
Auditório III - Rua da Cidadania da Fazendinha (Rua Carlos Klemtz, 1700, ao lado do Terminal – Fazendinha).

 

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484