Registrar
Lei de Acesso à Informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Parceria

Prefeito inaugura horta e assina protocolo do Centro de Agricultura Urbana

13/07/2017 20:38:00
Rádio Prefeitura
Radio Prefeitura
Sonora: Prefeito Rafael Greca

Baixe o Flash Player.

O prefeito Rafael Greca e o diretor presidente da concessionária Rumo, Júlio Fontana Neto,  inauguraram nesta quinta-feira (13/07) da 24ª horta comunitária que tem apoio da Prefeitura. Localizado em um terreno da concessionária de trens (antiga ALL), no bairro Cajuru, o local passa a ser cultivado por 24 famílias da Comunidade Oficinas e da Vila Betel. “Esta nova horta comunitária, projeto da Prefeitura e da Rumo em uma faixa de domínio da ferrovia, é um espaço de agroecologia que permitirá às famílias terem alimentos saudáveis e, por estar próximo à linha férrea, funcionará como área de segurança dos trens, além de evitar ocupação irregular”, destacou o prefeito.  

Greca lembrou que a agricultura urbana é uma tendência mundial e que cidades como Nova Iorque, Paris e Tóquio cada vez mais estão incentivando suas populações a cultivarem em espaços públicos ou ociosos. “Eu mesmo vi, durante uma viagem de trem entre Praga e Berlim, os terrenos próximos à linha férrea tomados de pomares e hortas”, complementou o prefeito, que quer a capital como referência nacional em agroecologia.

Greca já determinou ao Ippuc a constituição de um grupo de estudo para flexibilizar o uso do remanescente de recuo, área onde usualmente fica o canteiro de grama nas calçadas, para o cultivo de hortas. A atual legislação não prevê o aproveitamento dessas áreas para este fim, o que obriga a fiscalização a penalizar quem cultiva nesses recuos.

O diretor presidente da Rumo agradeceu a Greca o apoio da Prefeitura para a criação da horta comunitária do Cajuru. “Queremos contribuir para o crescimento sustentável de Curitiba e esta horta comunitária é exemplo de que a Rumo e o Município podem desenvolver vários projetos juntos em prol da população”, acrescentou Fontana Neto.

Denominada Canteiros da Cidadania, a nova horta tem acompanhamento técnico de agrônomos da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), através do Programa de Agricultura Urbana do Município. ”Com esta nova horta, cerca de 100 pessoas estão sendo beneficiadas diretamente com o cultivo de alimentos saudáveis, para consumo próprio, como alface, couve, rúcula, almeirão, escarola, ervas (orégano, cebolinha e salsinha) e frutas nativas como pitanga, limão e laranja”, destacou o secretario municipal de Agricultura e Abastecimento Luiz Gusi.

O secretário lembrou que a Prefeitura mantém o Programa Hortas Comunitárias desde 1986 e, com a inauguração da horta Canteiros da Cidadania, passa a dar apoio a 24 áreas cultivadas por produtores urbanos, que beneficiam 872 famílias e se espalham por 428 mil metros quadrados sob linhões de energia, terrenos públicos e áreas da iniciativa privada, como a da Rumo.

Centro de referência

Durante a inauguração da nova horta, também foi assinado o protocolo de intenção de criação do Centro de Referência em Agricultura Urbana e Economia Criativa, inédito no Brasil e que será instalado na área anexa ao pátio de manobras de trens próximo à Rodoferroviária, na área do Vale do Pinhão, no centro de Curitiba. “Será uma escola de ecologia humana, uma evocação às antigas chácaras da região. Do computador ao arado, os cybercidadãos voltam a mexer na terra”, disse o prefeito, em referência ao projeto que também faz parte do Programa de Agricultura Urbana da Smab.

O Centro terá a missão de promover a difusão de práticas e técnicas de agricultura urbana e organização comunitária, a fim de contribuir para a educação social, alimentar e ambiental da população. “Queremos conscientizar os cidadãos urbanos, de forma criativa e inovadora, sobre todo o processo de produção e a transversalidade do ciclo do alimento, abordando, além do cultivo, questões ambientais, sociais, educacionais e de saúde”, observou o secretário Luiz Gusi.

Participaram da cerimônia de inauguração da horta Canteiros da Cidadania e assinatura do protocolo de criação do Centro: o líder da Câmara Municipal de Curitiba, vereador Pier Petruzziello; o administrador da Regional Cajuru, Márcio José Nunes; o administrador da Regional Portão, Gerson Gunha; o administrador da Regional Bairro Novo, Fernando Wernek Bonfim; o administrador da Regional Boqueirão, Ricardo Alexandre Dias;  o vice-presidente da Rumo Malha Sul, Darlan Fábio de Davi; o vice-presidente de Recursos Humanos da Rumo, Eduardo Pellegrina Filho; o superintendente da Smab, Edson Rivelino Pereira; a coordenadora da Casa da Mulher Brasileira, Sandra Prado; o gestor de Política da Diversidade Sexual, Allan Johan; a assessora de Direitos Humanos, Terezinha Beraldo Pereira Ramos; e a presidente da Associação dos Moradores da Vila Betel, Alessandra Pae s de Arruda.

De lixo a canteiro de alimentos

Localizada ao longo da linha férrea que sai da sede da concessionária Rumo, no bairro Cajuru, a horta comunitária Canteiros da Cidadania ocupa uma área de 1 mil metros quadrados. Quem chega ao local hoje fica encantado com a bela horta em formação, mas o cenário era muito diferente antes do início da parceria entre a Prefeitura e a Rumo. “Era um terreno ocioso da empresa, em que as pessoas jogavam lixo e que também era usado por usuários de drogas”, lembrou Carmen Maron, coordenadora da Relações Sociais da Rumo.

O secretario municipal de Agricultura e Abastecimento, Luiz Gusi, salientou que um dos objetivos do Programa de Agricultura Urbana da Smab é, realmente, resgatar para a população áreas degradadas e vazios urbanos da cidade. “Com a Canteiros da Cidadania, estamos transformando um espaço improdutivo, em uma das regiões mais populosas da cidade, em uma área de cultivo de alimentos saudáveis”, frisou ele, que complementou que a Smab é responsável pela assistência técnica, apoio organizacional das comunidades e, inicialmente, fornecimento de mudas e insumos.

Famílias que estão participando do cultivo na horta Canteiros da Cidadania comemoram a iniciativa da Prefeitura e da Rumo. Moradora da Vila Betel, a dona de casa Karolin Cuss, 28 anos, conta que sempre quis ter um canteiro com hortaliças e agora está realizando um sonho. “Agora comecei a plantar as mudas de alface, cebolinha e almeirão para o almoço e jantar lá em casa e pensando, principalmente, nas minhas meninas que terão verduras mais frescas”, conta a dona de casa, mãe das pequenas Kemilly, 6 anos e Kimberrley, 1 ano e 4 meses.

Para o autônomo Manoel Alves da Silva, 47 anos, o cultivo de seu canteiro na horta do Cajuru será uma boa oportunidade de melhorar a qualidade da alimentação da família e também reduzir os gastos com hortaliças e até ajudar os moradores da região. “Vou produzir para mim e meus filhos, mas quero dar para os vizinhos e para instituições de caridade do bairro”, garante ele, que mora na Comunidade Oficinas. De seu canteiro vai sair, principalmente, alface, rúcula e cebola.

Centro de Referência

O Centro de Referência em Agricultura Urbana e Economia Criativa terá a missão de promover a difusão de práticas e técnicas de agricultura urbana e organização comunitária, a fim de contribuir para a educação social, alimentar e ambiental da população. “Queremos conscientizar os cidadãos urbanos, de forma criativa e inovadora, sobre todo o processo de produção e a transversalidade do ciclo do alimento, abordando, além do cultivo, questões ambientais, sociais, educacionais e de saúde”, destaca o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Luiz Gusi.

O secretário lembra que boa parte da população tem hoje contanto com o alimento apenas na hora da compra, mas há muitas outras questões que precisam ser disseminadas e incorporadas no dia a dia. “Com o centro, também queremos trabalhar questões como a valorização dos produtos da agricultura familiar na Grande Curitiba, dentro da proposta de criação do Mercado Comum Metropolitano; o aumento do consumo de frutas e hortaliças, que ajuda na redução do risco de doenças crônicas não transmissíveis (como diabetes e hipertensão); o aproveitamento total dos alimentos e, em conseqüência, a redução de resíduos orgânicos e o consumo consciente, tanto de alimentos como de insumos como a água”, reforça o secretário.

Projeto

O Centro de Referência em Agricultura Urbana e Economia Criativa vai ocupar uma área de 9.860 m² e irá reunir diversas técnicas de plantio sustentável de hortifrutigranjeiros (como cultivo protegido, plantio elevado e aqua/hidroponia), espaço para grandes culturas e hortas comunitárias. De acordo com Gusi, o projeto, desenvolvido pelo projeto Setor de Projetos Especiais do Ippuc, prevê ainda o uso de energias renováveis, como a eólica e captação de água de chuva para a irrigação e também solar, além de composteira própria.

O espaço contará ainda com uma sede em construção modular em contêineres e vagões, também com telhados verdes destinados ao plantio, onde haverá atividades administrativas, centros de apoio, auditório e restaurante-escola. Segundo informações do secretário, os recursos para implantação do centro estão sendo avaliados e o repasse do terreno ao município já foi solicitado à União. 

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484