Registrar
Lei de Acesso à Informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Planejamento urbano

Oficinas sobre o Plano Diretor nas Regionais tiveram a participação de quase 800 pessoas

09/04/2014 11:57:00

As 10 oficinas preparatórias para a revisão do Plano Diretor realizadas nas Regionais contaram com a participação de pelo menos 788 pessoas – número de cidadãos que assinaram as listas de presença nos eventos. Os encontros resultaram num amplo painel de informações, baseado nas necessidades e expectativas da comunidade, que foram compiladas pela Supervisão de Informações do Ippuc e passarão pela análise das equipes técnicas que trabalham no processo de revisão do Plano Diretor.

A maior parte dos representantes das oficinas eram representantes da sociedade civil, tais como integrantes de organizações não governamentais, associações, empresários e moradores das Regionais, entre outros. Os demais eram servidores públicos que compareceram para auxiliar a comunidade nas dinâmicas realizadas durante os eventos ou, ainda, que se apresentaram na condição de cidadãos interessados em participar. A média de participação por evento foi de 78 pessoas.

“Conseguimos cumprir nosso duplo objetivo, que era fornecer mais informações aos cidadãos sobre o processo de revisão do Plano Diretor e, ao mesmo tempo, colher dados para montar um diagnóstico com as necessidades e expectativas de cada Regional. Cada pessoa que participou, seja servidor público ou membro da comunidade, é agora um multiplicador desses conteúdos”, disse Oscar Schmeiske, supervisor de Informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

O presidente do Ippuc, Sérgio Póvoa Pires, diz que o número de participações ficou dentro do esperado para esse tipo de evento, que não tem o formato de uma audiência pública – na qual os cidadãos fazem questionamentos de forma direta aos dirigentes públicos. “É importante destacar a qualidade da participação daqueles que se propuseram a doar algumas horas de seu tempo livre para ajudar a pensar a sua cidade e a sua regional. É um processo extraordinário de construção da cidadania que deixa marcas profundas na sociedade”, avaliou Sérgio Pires.

informações obtidas nas 10 oficinas foram compiladas pela Supervisão de Informações do Ippuc e passarão pela análise das equipes técnicas que trabalham no processo de revisão do Plano Diretor. As As oficinas foram realizadas sempre à noite, entre 18 e 22 horas, entre os dias 17 de março e 3 de abril. Confira o número de presentes em cada oficina:

Santa Felicidade: 113
Boqueirão: 58
Matriz: 65
CIC: 70
Cajuru: 67
Portão: 91
Bairro Novo: 85
Boa Vista: 75
Pinheirinho: 72
Tatuquara: 93

Demandas da comunidade

Na Regional CIC, as demandas da comunidade giraram em torno dos problemas relacionados à mobilidade (principalmente trânsito e calçadas, alagamentos, regularização fundiária, educação, segurança, saúde e cultura.

Na Regional Bairro Novo, as demandas apontadas foram: necessidade de formação profissional e capacitação para jovens; construção de uma capela mortuária; criação de um centro gastronômico para incentivar iniciativas empreendedoras e incrementar o turismo; criação de centros culturais; melhorias em termos de mobilidade; atendimento e proteção à infância; qualificação profissional; pavimentação de vias; calçadas seguras; educação; segurança pública; equipamentos urbanos, tratamento para dependentes químicos; iniciativas e equipamentos públicos para o incremento da tecnologia da informação; novas áreas de esporte e lazer; reciclagem de lixo; saneamento básico e educação ambiental.

Na oficinal realizada na Regional Boa Vista as reivindicações abordaram a criação de um parque linear ao longo do rio Bacacheri Mirim; implantação de centro cultural e de artesanato; mudanças no zoneamento; melhorias no transporte e mobilidade; incremento à prestação de serviços; facilidade de acesso aos serviços públicos; instalação de hospital de alta complexidade; implantação de binários para melhorar o trânsito; implantação de complexo poliesportivo; mais rigor para punir proprietários que não mantém os terrenos limpos; melhoriase padronização das calçadas; combate às pichações; aumento de infraestrutura na regional; acessibilidade; reestruturação da Rua da Cidadania; aumento dos equipamentos públicos e da infraestrutura locais; saneamento básico e saúde ambiental; melhor aproveitamento das áreas verdes; maior integração do transporte coletivo; construção de viaduto; crescimento sustentável; desburocratização e mais agilidade dos serviços públicos.

Na Regional Boqueirão, as demandas apresentadas foram: mudanças no zoneamento; melhoria da infraestrutura viária; regularização fundiária; investimentos em segurança pública; recuperação de córregos e rios; combate às enchentes; construção de hospital regional e de múltiplas especialidades; descentralização do orçamento; melhorias na mobilidade e no trânsito; melhorias na educação; revitalização de calçadas; ações para a educação; mais acessibilidade e melhorias na travessia da Linha Verde; ações para aumento do potencial turístico da região; e instalação da Academia da Guarda Municipal.

Entre as principais reivindicações apresentadas na Regional Cajuru estão o destino dos resíduos sólidos; revitalização de calçadas; requalificação dos rios; implantação de terminal de ônibus no Uberaba; criação de ciclovias unindo a Regional ao Centro; novas unidades de saúde; regularização e titulação fundiárias; escolas em tempo integral; contenção de cheias por meio da construção de parques; maior arborização com o plantio de árvores frutíferas; melhoria da coleta seletiva de lixo; educação ambiental; iniciativas para reduzir o número de animais abandonados nas ruas; ampliação do Terminal Capão da Imbuia; criação de centro de lazer infantil; e implantação de centro de cultura, esporte e lazer.

A oficina realizada na Regional Matriz apresentou as seguintes reivindicações da comunidade: orçamento participativo; iniciativas de proteção à infância e adolescência; melhoria na mobilidade urbana, especialmente a pé e de bicicleta; aumento da segurança; ações de resgate social para pessoas em situação de risco; melhoria no sistema de coleta e tratamento do lixo; melhoria na mobilidade, acessibilidade e no trânsito; atendimento especial de saúde para a parcela da população envolvida com prostituição; melhoria na educação; aumento da segurança pública; revitalização das calçadas; incremento no transporte coletivo; aumento das vias cicláveis e incentivo ao uso da bicicleta; ampliação dos equipamentos de saúde; e revitalização do Passeio Público.

A comunidade reunida na Regional Pinheirinho apresentou as seguintes demandas: aumento da capacitação dos profissionais de saúde; melhorias na infraestrutura de saúde; aumento da segurança pública e monitoramento por câmeras de vídeo; inclusão da estação Santa Regina no projeto do metrô; aumento do valor do IPTU para imóveis sem uso; implantação de áreas de lazer; investimentos em educação; escalonamento de horários para empresas e escolas com o objetivo de descongestionar o trânsito; revitalização das calçadas em parceria com os moradores; iniciativas para o fortalecimento do comércio local; implantação de centro cultural polivalente; e criação de um parque tecnológico.

Já a Oficina realizada na Regional Portão resultou nas seguintes propostas: iniciativas para fortalecer o vínculo da comunidade com a região; projetos que visem a melhoria da saúde e da qualidade de vida dos cidadãos; requalificação das calçadas por meio de parcerias público-privadas; melhorias e humanização do trânsito; incentivo ao transporte compartilhado; construção de complexos esportivos; incentivo à iniciativas de cidadania; investimento em projetos sociais; mutirões de limpeza no bairro e ações de engajamento social e ambiental; regularização fundiária; iniciativas que devolvam a dignidade à população sem teto; melhoria da mobilidade urbana com implantação de vias cicláveis e bicicletários; ações para incrementar a segurança pública; investimento na recuperação de áreas degradadas e em educação ambiental; criação de uma subprefeitura; e iniciativas para o resgate de jovens envolvidos com drogas e violência.

Na Regional Santa Felicidade prevaleceram as propostas relacionadas à preservação dos Direito Humanos; aumento da segurança pública; programas e iniciativas de prevenção ao uso de drogas; ações que visem o fortalecimento da autonomia, dos laços familiares, da cidadania e da sustentabilidade; investimentos em educação e na saúde; melhorias no sistema viário; projetos voltados à nutrição e consumo de alimentos saudáveis; recuperação e preservação das áreas verdes; iniciativas de incentivo á cultura e ao lazer; modificação do zoneamento urbano; preservação da cultura italiana e incremento das ações relacionadas ao turismo na região; incremento do artesanato local; revitalização das calçadas e dos acessos viários; mais investimentos em saúde, cultura e lazer; regularização fundiária; e melhoria da mobilidade urbana e do transporte coletivo.

Por fim, na futura Regional do Tatuquara, os moradores elencaram como necessidades prioritárias o incentivo às atividades relacionadas ao teatro e à cultura voltadas aos jovens; a pavimentação das vias; e o aumento dos investimentos na área da educação.

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484