Registrar
Lei de Acesso à Informação
Prefeitura Municipal de Curitiba

Plano Diretor

Moradores da CIC discutem crescimento da cidade em audiência

27/05/2014 14:04:00

Cerca de 230 pessoas compareceram à segunda audiência pública de revisão do Plano Diretor de Curitiba, realizada na noite desta segunda-feira (26) no auditório da Administração Regional CIC. Foi a primeira de uma série de nove audiências que serão realizadas até dia 9 de junho em todas as regionais da cidade.

O evento contou com a presença de lideranças comunitárias, autoridades e moradores de diversos bairros. Na audiência, a população pode conhecer mais sobre o processo de revisão do plano e agenda de atividades para tal processo.

“Democracia é compartilhar com toda a população as decisões que a prefeitura toma. A equipe do Ippuc tem se esmerado em promover essa discussão, e traz para a população um material muito rico que é fundamental para o aprimoramento do Plano Diretor”, disse a vice-prefeita e secretária municipal do Trabalho e Emprego, Mirian Gonçalves.

O presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Póvoa Pires, falou sobre a metodologia utilizada na revisão do Plano Diretor e também lembrou que a revisão precisa ocorrer de forma integrada com os municípios da Região Metropolitana de Curitiba. “Existe a Curitiba oficial, mas também existe a Curitiba real, que ultrapassa as nossas divisas. Por isso, a integração com a região metropolitana precisa ser considerada no Plano Diretor e deveremos participar do processo de revisão dos planos diretores de cidades vizinhas”, lembrou Pires.

Na audiência também foi apresentado o diagnóstico realizado pelo Ippuc a partir das impressões colhidas durante as dez oficinas nas regionais, realizadas este ano, que contaram com a presença de quase 800 pessoas. “Tivemos a percepção de como as pessoas avaliam os locais onde moram e como desejariam que seus bairros fossem no futuro. Houve questões específicas de cada regional, mas, em linhas gerais, temas como educação, saúde, segurança, mobilidade, cultura, meio ambiente e regularização fundiária ganharam destaque”, disse a técnica do Ippuc Mônica da Silva.

A apresentação dos diversos mapas temáticos da cidade evidenciou que, em linhas gerais, norteada pelo Plano Diretor, a cidade cresceu de forma organizada, ao longo dos eixos, sempre orientada pelo tripé formado pelo sistema viário, uso do solo e transporte coletivo.

“É um modelo que ainda permite possibilidade de adensamento populacional em diversos bairros. No entanto, em face do crescimento da cidade, há muitos outros aspectos que precisam ser considerados na revisão do Plano Diretor e que envolvem, além das questões relacionadas ao uso do solo, tópicos igualmente importantes como a melhoria da mobilidade urbana e a conservação do patrimônio natural do município,” enfatizou o arquiteto Miguel Roguski, da equipe do Ippuc.

Participação

Os moradores apresentaram questionamentos sobre o crescimento da cidade e investimentos. Foi o caso de Sérgio dos Santos, que mora na região do Barigüi. Ele pediu a regularização dos terrenos nas vilas já construídas. “Temos 70% das propriedades na Cidade Industrial sem regularização. Todo mundo é considerado invasor. Regularização é cidadania”, pediu Santos.O presidente da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), Ubiraci Rodrigues, deu razão a Sérgio Santos. “Nós encontramos o município nessa situação. As áreas da CIC são prioridade para a regularização fundiária e estamos trabalhando para isso”, afirmou Rodrigues.

Já o empresário Paulo Bueno Neto levantou a necessidade de mudança da legislação para determinadas áreas da cidade para permitir a construção de prédios mais elevados, acima de oito andares. “Assim, poderemos ocupar menos espaço nos terrenos e preservar mais os bosques e áreas verdes no entorno. Além disso, nos prédios que possuem mais moradores, a manutenção torna-se mais baixa e a aquisição da moradia torna-se mais fácil”, destacou Bueno Neto.

Paulo Bueno Neto também solicitou a modificação de outra legislação referente ao uso dos impostos arrecadados. “É preciso que haja uma lei estabelecendo que 3% de todo o imposto arrecadado em cada bairro fique no próprio bairro. Dessa forma, teremos obras e melhorias nos 75 bairros da cidade”, concluiu.

Já o morador da CIC Valdeci Pereira pediu a palavra para elogiar a iniciativa da Prefeitura de Curitiba e fazer uma solicitação especial. “Nós estamos celebrando uma vitória que é ver o povo reunido para discutir os próximos 10 anos da cidade”, disse Valdeci Pereira.

A audiência pública desta segunda-feira também contou com a presença de pessoas com deficiência. Bruno Pierin Ersen tem deficiência auditiva, é psicólogo e trabalha na Secretaria da Pessoa com Deficiência. Ele acompanhou toda a audiência com sua colega de trabalho, Sandra Mara Mathias, que fez a tradução do evento para ele em Libras – a linguagem de sinais.

“As audiências públicas são muito importantes e estou satisfeito com o que aprendi aqui”, disse Bruno Ersen. “As pessoas com deficiência auditiva precisam que a cidade as atenda em suas necessidades. Elas preferem o metrô para se locomover, por ser um tipo de transporte mais amigável para elas. Por isso, todas essas discussões na cidade têm sido acompanhadas com muito interesse por elas”, destacou Sandra Mathias.

Já o jovem com deficiência visual, Daniel Massaneiro, que preside o Instituto Brasileiro da Pessoa com Deficiência em Ação, foi à audiência para falar sobre a importância da sincronização dos sinaleiros em toda cidade. “As pessoas com deficiência visual não conseguem cruzar as ruas com tranquilidade sem a sincronização. Precisam sempre de ajuda e correm risco constante de atropelamento”, destacou. O administrador da Regional CIC, Tom Vargas, respondeu a Massaneiro que, na região onde ele mora, na Rua Pedro Gusso, na CIC, estão ocorrendo obras e a sincronização semafórica irá acontecer em breve.

Também estiveram presentes ao evento a secretária da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdocimo, o secretário de Obras, Sérgio Antoniassi; opresidente da Urbs, Roberto Gregório, o secretário de Urbanismo, Reginaldo Cordeiro; o Coordenador da Guarda Municipal de Curitiba, Inspetor Cláudio Frederico de Carvalho; e os vereadores Felipe Braga Cortes, Dirceu Moreira e Toninho da Farmácia.

 

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484