Registrar
Acesso à Informação
Pesquisar
Qui, 27/11/14
Tempo Hoje
maxima minima
25º
17º
Prefeitura Municipal de Curitiba

Resíduos sólidos

Fruet é eleito presidente do Conresol

21/01/2013 17:41:00
  • Compartilhe
Rádio Prefeitura
Radio Prefeitura
Prefeito Gustavo Fruet é o novo presidente do Consórcio Intermunicipal do Lixo

Baixe o Flash Player.

A 21ª Assembleia Geral do Consórcio Intermunicipal para gestão de Resíduos Sólidos Urbanos (Conresol), realizada na tarde desta segunda-feira (21), na Prefeitura de Curitiba, elegeu o prefeito de Curitiba Gustavo Fruet como presidente do consórcio para a gestão 2013/2015. O vice-presidente eleito é o prefeito de Quatro Barras, Loreno Tolardo.

Durante a assembleia, o município de Piên passou oficialmente a fazer parte do consórcio, que agora reúne 21 municípios. Juntos eles somam 8,7 mil quilômetros quadrados, contam com 3 milhões de habitantes e geram 2,5 mil toneladas de resíduos sólidos por dia. Destes, 69% são provenientes de Curitiba.

“Nossa prioridade frente ao Conresol é definir o futuro do Sipar”, explicou Fruet. Ele referiu-se à atual licitação, paralisada por ações judiciais, para a formação do Sistema Integrado de Aproveitamento de Resíduos Sólidos (Sipar). Como a licitação segue sem um vencedor, atualmente os resíduos são encaminhamentos para dois aterros provisórios, um localizado em Fazenda Rio Grande e outro na Cidade Industrial de Curitiba.

As opções, segundo o prefeito, são esperar pela decisão judicial, cancelar a licitação ou renovar os contratos emergenciais. “O mais importante é ter a certeza de que o sistema atual não pode permanecer”, afirmou Fruet. Ele criticou o fato de que hoje a maior parte dos resíduos é enterrada nos aterros. Apenas 22,5% do material é reciclado. “Vamos trabalhar muito forte nas questões de reciclagem e conscientização”, garantiu o prefeito.

O secretário municipal do Meio Ambiente de Curitiba, Renato Lima, falou sobre a importância de Fruet ter sido eleito o novo presidente do Conresol. “Curitiba poderá dar uma contribuição ainda maior ao consórcio, com sua experiência e a sua visão de desenvolvimento sustentável”, disse Lima.

Segundo o secretário, está sendo feita uma análise detalhada da situação, do ponto de vista jurídico, financeiro e de interesse ambiental. “Vamos escolher a melhor estratégia para a cidade, mas é importante diminuirmos o volume destinado aos aterros. Por isso vamos incentivar a separação e a redução no lixo gerado”, informou Lima.

Criado em 2001, o consórcio é formado atualmente pelos seguintes municípios: Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Araucária, Balsa Nova, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Colombo, Contenda, Curitiba, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Pien, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, Quitandinha, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul e Tijucas do Paraná.

Além dos prefeitos dos municípios integrantes do Conresol, participaram da assembléia a vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, o presidente da Assomec e prefeito de Pinhais, Luiz Goulart Alves, e outras autoridades.

Saúde da RMC

O prefeito Gustavo Fruet acompanhou também nesta segunda-feira (21) a assembleia do Consórcio Metropolitano de Saúde (Comesp), realizada no Palácio 29 de Março, sede da Prefeitura de Curitiba. Ele participou como membro observador da eleição da nova diretoria da entidade.

Fruet ressaltou que a participação de Curitiba no consórcio ainda vai passar por uma avaliação, já que a Lei 14.174/2012, que ratifica o protocolo de intenções do Comesp e autoriza o município a participar, só foi sancionada no dia 17 de dezembro de 2012, pelo prefeito anterior. “É muito importante a integração da Região Metropolitana, mas ainda estamos avaliando o modelo de gestão e o impacto orçamentário que essa adesão representaria para Curitiba. Este foi o motivo pelo qual eu não quis me envolver na eleição da diretoria do consórcio”, comentou.

Como o cálculo para ingresso no Comesp é proporcional ao número de habitantes dos municípios, Curitiba seria responsável por 60% do orçamento do consórcio, além de ter que deslocar servidores e ceder patrimônio para o funcionamento das atividades. “São questões que precisamos de mais tempo para avaliar com cautela. Mas vamos continuar participando, como observadores, sem direito a voto, até que possamos resolver nossas questões internas”, salientou Fruet.

O prefeito de Pinhais, Luizão Goulart Alves, foi um dos que falou em nome do colegiado e disse compreender o posicionamento de Fruet, que está assumindo a gestão agora e precisa ver todos os detalhes orçamentários.

 

  • Compartilhe