Registrar
Lei de Acesso à Informação
Prefeitura Municipal de Curitiba
Onibus de Curitiba

Aqui o progresso anda de ônibus

Trinta e dois de cada cem curitibanos utilizam todos os dias o transporte coletivo.

São vermelhos, os Expressos, Articulados e Bi-articulados que cruzam diariamente os eixos Norte-Sul, Leste-Oeste e a região do Boqueirão, unindo os limites da cidade. Os ônibus brancos da Linha Circular-Centro cobrem apenas o centro da cidade. Os pontos colaterais e sub-colaterais do mapa são ligados pelas linhas Interbairros, em círculos concêntricos que se ampliam, unindo toda a cidade.

O veloz "Ligeirinho" (semi-expresso), de cor cinza e design moderno, tem poucas paradas decrescentes ao longo do tempo. A integração entre todos eixos, ao longo de terminais e estações intermediárias, é realizada pelos ônibus bi-articulados alaranjados. E o Convencional, amarelo, continua percorrendo caminhos pré-1970, mais centrais e curtos, quando era o único meio de transporte de massa disponível.

Em 1970, os 1.828.092 curitibanos de hoje (Censo 2008/IBGE) resumiam-se em 609.026. A cidade, um mero ponto de passagem no mapa do Sul do Brasil, sofreu com o trânsito desorganizado com um afluxo de migrantes provenientes do interior da província em busca do paraíso que a industrialização agrícola lhes havia roubado.

O início da nova década, 1971, coincidiu com o da implantação do Plano Diretor de Curitiba, de 1965. O transporte foi fundamental na aplicação do plano, porque foi encarado como indutor do desenvolvimento da cidade. O uso do solo, o transporte viário e o transporte coletivo passaram a ser pensados juntos, conduzindo o desenvolvimento urbano.

A revolução do transporte público começou entre os bairros de Santa Cândida e Capão Raso, com a implantação do eixo Norte-Sul. Curitiba inventou o sistema ternário. A "canaleta" exclusiva para ônibus implantanda a partir de 1974 com a linha de ônibus Expresso. E ambos, a canaleta e o Expresso, seriam o primeiro passo da Rede Integrada de Transporte (RIT).

Fazia sol no domingo, 20 de setembro de 1974. Refletindo a tonalidade púrpura dominante nas peças do novo mobiliário urbano, as flores do mercado da Praça Generoso Marques anunciavam a primavera. Com suas roupas domingueiras, os curitibanos foram chegando gradualmente desde às 10 horas da manhã. Faziam fila para experimentar o passeio gratuito daquele ônibus vermelho, moderno, tão diferente de todos os que já haviam visto antes. Eram 20, 12 unidades indo para o Sul (Capão Raso) e oito delas indo para o Norte (Santa Cândida).

Em 19 de setembro de 1979 começou a circular os ônibus Interbairros, percorrendo 28 bairros de Curitiba em um percurso de 44 Km.

A Rede Integrada de Transporte (RIT)

O verão já se estabeleu no domingo de 1º de dezembro de 1980 na Cruz do Pilarzinho. Alí, 20 ônibus Interbairros (verdes), dez rumo ao bairro Cabral (sentido horário) e os outros dez rumo ao bairro Campina do Siqueira (anti-horário), nas viagens gratuitas dos habitantes, o início das operações da Rede Integrada de Transporte (RIT). A rede começou com uma linha do Expresso e três dos Interbairros, totalizando 142 alternativas de utilização para os curitibanos.

O transporte coletivo da cidade é sobretudo humano. Os idosos tem assentos especiais e os portadores de necessidades especiais com cadeiras de roda tem espaço específico nos veículos e elevadores para o embarque.

Em relação a RIT, os horários de início das atividades da indústria, comércio, serviços, estudantes e funcionários públicos foram escalonados, entre 7:30h e 9:30h, promovendo um desafogamento do trânsito e da demanda pelo transporte coletivo. Contudo, a melhor providência para a RIT foi a adoção da tarifa social, em vigor até os dias de hoje. O passageiro que embarca em um ônibus pode fazer a integração com o resto do sistema embarcando em outros ônibus, sem pagar outra passagem. Os trajetos mais curtos, os mais centrais, mais longos e periféricos, em especial quem chega dos municípios vizinhos, integrantes da Região Metropolitana de Curitiba.

Integração Metropolitana

Em 14 de julho de 1993 começou a circular a primeira linha metropolitana da RIT, unindo Curitiba a São José dos Pinhais. A inauguração oficial da integração entre Curitiba e a Região Metropolitana pelo transporte coletivo só se daria, em 9 de abril de 1996, quando o "Ligeirinho" chegou à Almirante Tamandaré. Em menos de um ano antes, o dia 19 de agosto de 1995 havia marcado outra novidade: a chegada dos ônibus bi-articulados, vermelho Ferrari, com largura total de 21,895 metros e cinco portas. Circulando nos trajetos da Linha Direta, com embarque/desembarque pelas estações-tubo, cada biarticulado tem capacidade para 270 passageiros sentados.

A RIT de Hoje

A RIT possui 2.100 ônibus (1.500 urbanos e 600 metropolitanos integrados). Dos 1.500 primeiros, 1.280 estão em operação diária e transportam, por dia hábil, 2,040 milhões de passageiros (1,55 milhão em Curitiba, dos quais 800 mil pagadores; 490 mil, dos quais 230 mil pagadores, na Região Metropolitana). Os ônibus viajam, dia a dia, todos os caminhos de Curitiba e dos bairros, distribuídos por 385 linhas (285 urbanas e 100 metropolitanas) e cinco mil paradas, reforçados por 351 Estações-Tubo e 29 terminais de integração.

Endereço
Av. Cândido de Abreu, 817 - Centro Cívico
CEP: 80.530-908 • Fone: (41) 3350-8484